Endurance

Dono de equipe, Wayne Taylor revela ligação de chefe da McLaren com pedido: vaga para Alonso em Daytona

Wayne Taylor, dono da equipe que leva seu nome e que abriga Fernando Alonso nas 24 Horas de Daytona em 2019, afirmou que tinha desistido da ideia apresentada meses antes por Zak Brown, diretor-executivo da McLaren. Até que uma nova ligação colocou Alonso novamente na pauta

Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
Fernando Alonso vai para sua segunda edição das 24 Horas de Daytona. Desta vez, no entanto, será por uma equipe vencedora do endurance norte-americano, a Wayne Taylor Racing. E o chefe Wayne Taylor revelou uma ligação de Zak Brown, diretor-executivo da McLaren, para saber se havia um espaço para o bicampeão mundial da F1.
 
Taylor tem em um dos filhos, Jordan Taylor, e em Renger van der Zande a dupla titular do carro #10. Wayne estava em busca de um terceiro nome quando pensou em Kamui Kobayashi. Uma conversa de meses atrás com Brown, quando o diretor da McLaren sondara sobre a possibilidade de colocar Alonso na baila havia ficado no passado e parecia assunto encerrado. Até que uma nova ligação foi feita.
 
"Recebi uma mensagem de texto através da McLaren e de Zak perguntando se havia um lugar para Fernando. E eu respondi que ia conseguir", disse. 
 
"Fizemos tudo muito rápido, porque agora teremos Kamui, Fernando, Jordan e Van der Zande a serviço da Cadillac. Confirmamos que estamos prontos para vencer novamente as 24 Horas de Daytona", seguiu.
Fernando Alonso no carro da Wayne Taylor (Foto: Daytona International Speedway)
O carro #10 teve problemas em 2018, mas venceu a prova em 2017. É, assim, um dos favoritos para a edição 2019.
 
Taylor também falou sobre as nuances das corridas de 24 Horas, apesar de Alonso não ser um novato: é o vencedor vigente das 24 Horas de Le Mans.
 
"Na F1 importa muito a classificação e as primeiras voltas. Aqui, o mais importante é a consistência, a gestão do tráfego e o estado do carro. É um desafio, mas é parte da competição. Em uma ou duas sessões, você já está preparado para as 24 Horas", afirmou.
 
"Neste ano os objetivos são mais altos, mas temos que levar em conta como são essas corridas. É complicado prever o que vai acontecer. Às vezes sentimos a injustiça dessas corridas na pele, mas temos de manter a calma e fazer a melhor corrida possível. 24 Horas são sempre muito longas", encerrou. 
 
A classificação em Daytona acontece às 18h da próxima quinta-feira, enquanto a largada está marcada para as 17h (de Brasília) do dia 25 de janeiro.