Endurance

Hartley assume posto deixado por Fittipaldi e disputa 12 Horas de Sebring pela Action Express

Brendon Hartley tem um novo desafio no próximo mês. Substituindo Christian Fittipaldi, o neozelandês vai disputar as 12 Horas de Sebring pela Action Express. O piloto vai formar um trio com Filipe Albuquerque e João Barbosa
Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Brendon Hartley já tem seu próximo compromisso marcado na agenda. Em março, o neozelandês volta ao SportsCar para disputar as 12 Horas de Sebring pela vitoriosa equipe Action Express, ao lado dos portugueses Filipe Albuquerque e João Barbosa.
 
O piloto vai assumir o posto deixado por Christian Fittipaldi, que se aposentou das pistas após dois títulos na categoria. Sua última corrida aconteceu nas 24 Horas de Daytona, no fim de janeiro.
 
A jornada de Hartley pela Action Express vai marcar a segunda participação de Hartley na icônica prova norte-americana. A primeira vez que correu foi em 2017, quando defendeu a ESM Tequila Patrón a bordo de um protótipo da Nissan.
Brendon Hartley (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Mike Conway, que se atrasou e não conseguiu montar um quarteto com Fittipaldi, Barbosa e Albuquerque em Daytona, já não poderia ser escalado para Sebring. O motivo é que a Toyota proibiu que seus pilotos do Mundial de Endurance participassem do SportsCar.
 
Gary Nelson, chefe da equipe norte-americana, exaltou a chegada do bicampeão mundial de endurance e vencedor das 24 Horas de Le Mans. “Com Christian optando por se aposentar, precisávamos achar outro piloto rápido e bom de equipe, e Brendon tem um ótimo histórico e uma atitude que deve se encaixar com João e Filipe”, disse.
 
“Acompanhamos Brendon ao longo dos anos desde a primeira vez que o vimos correr tão bem na Grand-AM [em 2013], então estamos felizes que deu certo para ele correr conosco em Sebring”, completou.
 
Hartley vai ter uma dupla tarefa em Sebring. Além da prova do SportsCar, o piloto ainda vai disputar as 1000 Milhas de Sebring, válidas pela supertemporada 2018/19 do WEC. O piloto vai defender a equipe russa SMP na classe LMP1, no lugar de Jenson Button. Ele ainda vai alinhar em Spa-Francorchamps e corre as 24 Horas de Le Mans na LMP2 pela RLR MSport.
 
Mas as obrigações do neozelandês não param por aí. O motivo é que o piloto também assumiu o papel de piloto de simulador da Ferrari.