Endurance

Nasr lamenta paralisação que encurtou batalhas com Alonso em Daytona: “Foram momentos fantásticos”

Felipe Nasr subiu ao pódio em Daytona em segundo - atrás somente do #10 que tinha Fernando Alonso entre seus pilotos. E eles batalharam pela liderança antes da última bandeira vermelha, fato que o brasileiro lamentou, já que impediu uma briga ainda mais empolgante na pista com o bicampeão mundial de F1

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
A batalha final pela vitória nas 24 Horas de Daytona, no último domingo (27), foi entre o  #10 de Fernando Alonso e o #31 de Felipe Nasr. O espanhol acabou levando sua equipe ao triunfo e o brasileiro foi ao pódio em segundo. Mas a série de paralisações durante a corrida impediu que a briga, na pista, fosse ainda mais empolgante.

Essa é a visão de Nasr, que comentou ao 'Autosport' sobre como lamenta que a disputa com Alonso não possa ter sido mais vibrante não só para eles, mas para o público.

"Fernando e eu, creio, éramos os caras mais fortes naquelas condições (forte chuva), e eu realmente lamento que não pudemos correr mais tempo juntos. Tenho certeza de que teria sido lindo para os espectadores em casa, ver nossos carros lutando. Uma pena que não houve relargada e tivemos que aceitar a segunda colocação", comentou Nasr.
As 24 Horas de Daytona paralisadas pela chuva (Foto: IMSA)
"Tudo que queria era voltar à pista. Mas eu entendo que em certo momento ficou muito molhada. Uns 15, 20 minutos antes da bandeira vermelha os carros já estavam rodando em retas. Ficou bem louco", seguiu.

O brasileiro também elogiou Alonso: "Foram momentos fantástico divididos com Fernando. Ele é um ótimo piloto, todos sabemos disso, e qualquer carro que você dar a ele, vai mostrar seu melhor", finalizou.

Nasr foi ao pódio com o #31 da Action Express ao lado do compatriota Pipo Derani e do americano Eric Curran. Alonso venceu com o Cadillac #10 da Wayne Taylo ao lado de Jordan Taylor, Kamui Kobayashi e Renger van der Zande.