Perto de definir futuro na McLaren, Alonso planeja disputar 24 Horas de Daytona em 2018, diz revista

Fernando Alonso já definiu seu próximo desafio fora da F1. De acordo com a revista francesa ‘Auto Hebdo’, o bicampeão mundial planeja disputar as 24 Horas de Daytona, no início de 2018, e para isso contaria com a ajuda de Zak Brown, diretor-executivo da McLaren, grande artífice da sua participação nas 500 Milhas de Indianápolis. A opção pela clássica prova do endurance americano ao invés de Le Mans se justifica pela indefinição sobre a permanência da Toyota no WEC

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Enquanto discute os detalhes da renovação do seu contrato com a McLaren, o que tende a ser anunciado até o fim de semana do GP dos Estados Unidos — entre 20 e 22 de outubro —, Fernando Alonso já definiu seu novo desafio fora da F1 na próxima temporada. Segundo a revista francesa ‘Auto Hebdo’, o bicampeão do mundo tem como objetivo disputar as 24 Horas de Daytona já em 2018. A prova, marcada para os dias 27 e 28 de janeiro, serviria como alternativa a Alonso, que sonha com as 24 Horas de Le Mans, mas não vê o atual momento como o ideal por conta da indefinição, por exemplo, sobre a permanência da Toyota no Mundial de Endurance.

 
De acordo com a publicação, Alonso conta novamente com Zak Brown, diretor-executivo da McLaren, para uma nova incursão no automobilismo norte-americano, desta vez no Endurance. Tal cenário indica, além da ótima relação com o dirigente, que a ‘novela’ sobre renovação do seu contrato com a escuderia britânica se aproxima de um final feliz para as duas partes.

Em parceria com a McLaren, Honda e a Andretti, Brown foi o grande artífice para sua participação nas 500 Milhas de Indianápolis, que tornou a icônica prova da Indy o centro das atenções em maio, ofuscando o GP de Mônaco de F1.

Segundo a 'Auto Hebdo', Alonso tem o apoio de Zak Brown para correr em Daytona no ano que vem (Foto: IndyCar)
Alonso mantém sua vontade de um dia voltar a correr em Indianápolis e também disputar as 24 Horas de Le Mans. Tudo para conquistar a Tríplice Coroa do automobilismo. Mas sua participação em Sarthe, neste momento, é tida como mais complicada pelo momento que atravessa o WEC. A saída da Porsche da classe principal do certame, a LMP1, e a indefinição sobre a Toyota, pode fazer com que a categoria conte somente com equipes privadas.
 
Le Mans também implicaria um esforço muito grande para Alonso por conta do apertado calendário na próxima temporada. Fernando teria de disputar o GP de Mônaco no fim de maio, seguir para Sarthe para participar dos testes na semana seguinte, viajar ao Canadá e, em seguida, voltar a Le Mans para disputar a prova.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Como sonha em focar seus esforços na F1 e voltar a lutar por vitórias e pelo título, Alonso tem em Daytona uma alternativa apresentada por Zak Brown, já que a prova nos Estados Unidos acontece no começo do ano, o que não atrapalharia seu cronograma de preparação visando a temporada 2018 da F1. Brown, aliás, é dono de uma equipe de endurance, a United Autosports, que confirmou sua presença no grid de Daytona em 2018 com um chassi Ligier na classe Prototype.

 
Em teoria, Brown seria um dos pilotos, como já aconteceu em 2011, na última vez em que a United Autosports correu em Daytona. Mas não seria problema algum ao norte-americano ceder seu lugar, por exemplo, a Fernando Alonso. 

Outra atração da próxima edição das 24 Horas de Daytona é a entrada da Penske, que estreia parceria com a Acura, marca da Honda, no SportsCar a partir da próxima temporada. Recentemente, a equipe norte-americana confirmou a presença de Helio Castroneves no projeto, formando trio com Dane Cameron e Juan Pablo Montoya. O colombiano, assim como Helio, competiu com Alonso em Indianápolis em maio e também foi um dos pilotos que ajudou o espanhol na sua adaptação ao carro e ao circuito oval durante sua jornada na Indy.
 

STROLL RACING?

WILLIAMS PARECE SE DOBRAR ÀS VONTADES DE UM MAGNATA. O QUE É TRISTE

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube