Endurance

Temporal quase faz safety-car rodar e ajuda a confirmar dobradinha da Porsche no grid em Le Mans. Di Grassi sai em 6º

A Porsche fez dobradinha no grid das 24 Horas de Le Mans de 2016, com o protótipo #2 de Neel Jani, Romain Dumas e Marc Lieb na pole-position. Dos seis brasileiros, o melhor posicionado é Lucas Di Grassi, da Audi, que larga em sexto lugar
Warm Up / RENAN DO COUTO, de São Paulo
 A Porsche ficou com a pole-position em Le Mans (Foto: Porsche)

Tão logo deu a luz verde para o início da terceira sessão classificatória, o diretor de prova Eduardo Freitas deu o aviso: “A chuva está chegando, e ela deve ser forte”. Tiro e queda.

Passados alguns minutos na última tomada de tempos para a definição do grid das 24 Horas de Le Mans, um temporal caiu sobre Sarthe. Melhorar os tempos se tornou missão impossível, e isso era ótimo para a Porsche.
 
A chuva apertou tanto que foi preciso parar o treino com bandeira vermelha para só reiniciá-lo a 45 minutos do fim. Durante a pausa, o safety-car foi à pista para checar as condições e só não rodou graças a uma bela corrigida do piloto:

Não foi a única ‘ocorrência’. O brasileiro Lucas Di Grassi levou um susto em plena reta dos boxes, mas ainda conseguiu seguir com o seu Audi no asfalto. Atrás dele vinha o italiano Matteo Malucelli, com uma Ferrari da classe GTE Am, que não teve a mesma sorte (ou a mesma habilidade).
A rodada de Malucelli em plena reta dos boxes (Foto: Reprodução)

O grid em Le Mans é definido a partir de três tomadas de tempo, uma na noite de quarta-feira e duas na quinta. Vale o melhor tempo de cada carro, não importa em que treino ele tenha sido marcado.
 
E foi na quarta-feira, com a pista seca, que Neel Jani cravou 3min19s733 a bordo do Porsche #2. O suíço ainda reclamou de tráfego em sua volta lançada, crente de que poderia ter sido ainda mais rápido. Essa, aliás, foi uma reclamação geral entre os pilotos da LMP1.
 
O trio do carro-irmão foi 0s470 mais lento. Assim, os campeões mundiais Timo Bernhard, Brendon Hartley e Mark Webber completam a primeira fila.
 
A Toyota domina a segunda fila, prometendo um desempenho bem melhor que o de 2015. Neste ano, o time japonês vem com um novo conceito, usando um motor biturbo V6 2.4, e tendo trocado os supercapacitores por baterias de lítio no sistema de recuperação de energia.
Lucas Di Grassi tenta ser o primeiro brasileiro a ganhar Le Mans (Foto: Audi)
E é na terceira fila que aparece a Audi, com o melhor brasileiro no grid: Lucas Di Grassi, sexto ao lado de Loïc Duval e Oliver Jarvis. O tempo do trio foi 3min22s823, só 0s043 mais alto que o de Marcel Fässler, Benoît Tréluyer e André Lotterer.
 
A seguir aparecem os dois protótipos da Rebellion, com o #12 de Nicolas Prost, Nick Heidfeld e do brasileiro Nelsinho Piquet no oitavo posto.
Nas demais categorias
 

A pole da LMP2 está nas mãos da G-Drive, assegurada por René Rast — piloto de fábrica da Audi, “emprestado”. Ele divide o #26 com Roman Rusinov e Will Stevens.
 
São três brasileiros nesta categoria. O melhor deles é Ozz Negri, no #49 da Michael Shank Racing, com John Pew e Laurens Vanthoor. A equipe norte-americana estreia no WEC e sai na quinta posição entre os 23 protótipos da LMP2. Pipo Derani, vencedor das 24 Horas de Daytona e das 12 Horas de Sebring em 2016, é o sexto. Bruno Senna ficou em 13º com a equipe Morand.
 
Retornando com o modelo GT, a Ford promete. Os norte-americanos, cujos carros são operados pela Ganassi, fizeram dobradinha. Sébastien Bourdais, Joey Hand e Dirk Müller viraram 3min51s213, só 0s3 abaixo de Richard Westbrook, Ryan Briscoe e Scott Dixon. Gianmaria Bruni, James Calado e Alessandro Pier Guidi vêm logo depois com a Ferrari da AF Corse.
 
O Aston Martin #97 de Fernando Rees sai na parte de trás do pelotão da Pro.
 
Por fim, pole para Robert Bell, Keita Sawa e Mok Weng Sun na GTE Am. O trio anda com uma Ferrari 458 Italia.

A largada das 24 Horas de Le Mans será no sábado, às 10h (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO vai acompanhar tudo AO VIVO e em TEMPO REAL, e os leitores poderão participar usando a hashtag #LeMansnoGP. A previsão de chuva persiste, principalmente para as primeiras 12 horas da corrida. Clique aqui para conferir o grid de largada não-oficial.

PADDOCK GP #33 ANALISA GP DO CANADÁ E FAZ PRÉVIA DO GP DA EUROPA