FE

Buemi some na liderança e abre temporada da F-E com vitória em movimentado eP de Pequim. Di Grassi é 2º

Embora o eP de Pequim que abriu a temporada 2015/16 da F-E neste sábado (24) tenha sido bastante movimentado - e muito melhor que a etapa de 2014 -, na liderança não teve qualquer emoção. Sébastien Buemi largou bem, deixou o resto do grid brigando por posição e foi vencer sem qualquer problema
Warm Up / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
 Sébastien Buemi (Foto: F-E)
Sébastien Buemi sumiu logo após a largada enquanto Nicolas Prost, Nick Heidfeld e Lucas Di Grassi brigavam atrás. E nunca mais foi visto. Depois de uma corrida difícil por lá em 2014, onde acabou se classificando mal e batendo, o suíço começa a temporada 2015/16 com uma exibição digna de quem é o piloto a ser batido neste ano.

E foi basicamente Buemi quem não se meteu em problemas. De resto, uma prova muito divertida. Di Grassi passou Prost num erro do francês e conseguiu deixar Heidfeld para trás na parada nos boxes. Depois, cortou a diferença de Buemi pela metade antes de ser pressionado por Prost. Talvez Nicolas tivesse conseguido levar a melhor sobre o piloto da Audi ABT, mas ele nem teve a chance. Tocou o muro, ficou com a asa traseira torta e quebrada e teve de abandonar a prova.
Sébastien Buemi (Foto: F-E)
 
Desta forma, a briga pelo último lugar pelo pódio ficou emocionante nas três voltas finais. Loïc Duval e Jérôme D'Ambrosio tentaram de qualquer forma passar Heidfeld, que precisou de sangue frio para segurar as Dragon - especialmente Duval. Depois do fim melancólico do ano passado em Pequim, Heidfeld sai agora com ao menos com um pódio.
 
As duas Dragon seguiram, com Duval sobrevivendo a uma tentativa kamikaze do companheiro. Oliver Turvey foi o sexto com certa sorte de estar nos boxes na hora certa, quando a bandeira amarela foi acionada pela batida de António Félix da Costa em Jacques Villeneuve. Sam Bird, Nathanaël Berthon, Daniel Abt e Stéphane Sarrazin encerraram o top-10.

Bruno Senna foi bem no começo da prova. Na realidade, até a parada para troca de carros. A da Mahindra não funcionou bem com ele, que ficou fora da briga. Nelsinho Piquet chegou a estar na zona de pontuação, mas o carro teve um problema e simplesmente parou - para voltar a funcionar segundos depois, mas já com a corrida completamente comprometida. 
 
A F-E volta em duas semanas, 14 de novembro, com o eP de Putrajaya na Malásia.

Confira como foi a corrida:

Com tudo pronto na hora da largada, Nick Heidfeld partiu para cima de Nicolas Prost assim que as luzes vermelhas se foram. O alemão forçou e foi, deixando Nicolas para trás. Um pouco atrás, Bruno Senna largou bem e deixou Stéphane Sarrazin para trás. 
Na segunda passagem, Prost ia passando direto e acabou perdendo o terceiro lugar para Lucas Di Grassi. Senna atacou Jean-Éric Vergne, ganhando no fórceps a quarta colocação - grande ultrapassagem.
 
Só que na terceira volta, Simona de Silvestro, na curva dois, encontrou o muro pela segunda vez no dia - e também a última. Final de corrida para a suíça. Antes que a bandeira amarela fosse estendida para toda a pista, Vergne tentou atacar Senna, que se defendeu. Loïc Duval, então, mergulhou e passou Vergne, que passou de novo para reclamações do piloto da Dragon. Metros atrás dos dois, Jérôme D'Ambrosio ia para cima de Sarrazin. E aí resolveram parar a prova para recuperar o carro da Andretti.

A relargada aconteceu pelo rádio, como fosse uma largada de prova de atletismo de pista, e Bird veio como louco. O inglês foi para dentro e passou Duval, mas logo em seguida errou na curva e caiu para 11º, atrás de Sarrazin, D'Ambrosio e Daniel Abt, além de Duval.
 
Definidos os agraciados com o FanBoost na sétima volta: Bird, Nelsinho Piquet e Oliver Turvey, os dois pilotos da equipe da casa.
 
Enquanto na frente Buemi ia sumindo na liderança, Heidfeld segurava Di Grassi e Prost, claramente mais rápidos. E atrás de ambos, no pelotão intermediária, dez pilotos vinham colados.
 
Senna começou a perder posições na décima volta. Primeiro, Vergne e Duval passaram de passagem; em seguida, Sarrazin e Bird. Em questão de segundos, Bruno saíra de quinto para nono. A briga de Duval e Vergne pelo quinto lugar só parou quando Bird chegou na baila. Com ótima manobra, Sam deixou JEV para trás após a briga de roda com roda. 
 
Depois de uma classificação bem fraca, António Félix da Costa foi escalando o pelotão especialmente depois da relargada. Já chegava em nono.
António Félix da Costa (Foto: F-E)
Buemi, Heidfeld, Di Grassi, prost, Sarrazin, Senna, Bird, Abt, Félix da Costa, Robin Frijns, Jean-Eric Vergne e Jacques Villeneuve entraram na volta 14. Em duas voltas, todos já haviam parado.
 
Voltando dos boxes, Di Grassi ganhou a segunda posição, enquanto Heidfeld estava atrás de Prost e resolveu atacar. Muito embora todo mundo tenha lembrado da batida de 2014, desta vez Heidfeld passou de forma tranquila. Mais conturbado foi Félix da Costa tentando passar de novo por Villeneuve. O português errou e bateu no canadense. Fim de prova apenas para o luso. E nova bandeira amarela.
A confusão de batidas a bandeiras acabou boa para Turvey, Nathanaël Berthon e Piquet, que pararam por último e voltaram em sétimo, oitavo e nono, respectivamente. Já Senna, por sua vez, caiu para o 15º lugar.
 
Na relargada, Prost deu o troco e deixou Heidfeld para trás. Enquanto os tinham um combate próprio, Di Grassi cortava a diferença para Buemi. E Piquet, que tinha se dado muito bem, teve novo problema. O carro parou por completo e demorou alguns segundos para voltar à vida. Mas o atual campeão voltou para o final de fila.
 
Na 20ª volta, Prost tentava atacar Di Grassi quando uma traseirada fez a asa traseira da e.dams tocar o muro e ficar completamente avariada. Um pedaço ficou pelo chão, permitindo que o brasileiro fugisse.
 
Quem resolveu acordar na prova foi Frijns. Passou Sarrazin com moral e ficou três voltas tentando achar um espaço para superar Vergne. Quando conseguiu, já estava nos pontos, mas ainda quis mais e foi para cima de Abt.

Prost e sua asa torta, então, receberam a bandeira preta com bola laranja - tinha de voltar aos boxes sob o risco de ser desclassificado. Descontente, Prost voltou após a equipe várias vezes - fim de prova para ele.
 
Então, o terceiro lugar do pódio ficou aberto para disputas. Heidfeld teria que defender das duas Dragon que chegavam. Primeiro Duval, atacando com ganas. Mas D'Ambrosio veio no embalo e fez o que restou - atacar o companheiro. A manobra do belga deu medo, mas Duval se deu melhor. O francês foi para cima de Nick, mas o veterano se defendeu bem. Depois de ter a vitória negada no ano passado, Heidfeld consegue subir ao pódio em Pequim.
 
Assim, Buemi cruzou na frente, seguido por Di Grassi e Heidfeld. Duval, D'Ambrosio, Turvey, Bird, Berthon, Abt e Sarrazin também pontuaram.

F-E, eP de Pequim:

1 SÉBASTIEN BUEMI SUI E.DAMS 26 voltas  
2 LUCAS DI GRASSI BRA AUDI ABT +11.006  
3 NICK HEIDFELD ALE MAHINDRA +15.681  
4 LOÏC DUVAL FRA DRAGON +16.009  
5 JÉRÔME D'AMBROSIO BEL DRAGON +16.514  
6 OLIVER TURVEY ING CHINA +39.466  
7 SAM BIRD ING VIRGIN +47.531  
8 NATHANAËL BERTHON FRA AGURI +58.620  
9 DANIEL ABT ALE AUDI ABT +1:03.351  
10 STÉPHANE SARRAZIN FRA VENTURI +1:07.814  
11 ROBIN FRIJNS HOL ANDRETTI +1:09.260  
12 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA VIRGIN +1:31.040  
13 BRUNO SENNA BRA MAHINDRA +1:50.833  
14 JACQUES VILLENEUVE CAN VENTURI +1 volta  
15 NELSINHO PIQUET BRA CHINA +2 voltas  
16 NICOLAS PROST FRA E.DAMS +4 voltas NC
17 ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA POR AGURI +13 voltas NC
18 SIMONA DE SILVESTRO SUI ANDRETTI +24 voltas NC