FE

Di Grassi mostra ambição, usa FanBoost com maestria e vence eP da Cidade do México para liderar F-E

Lucas Di Grassi recuperou a liderança da temporada 2015/16 da F-E ao fazer uma grande corrida de estreia da categoria na Cidade do México. Soube usar o FanBoost com maestria para tomar a frente de Jérôme D'Ambrosio e assumir a ponta. Enquanto Sébastien Buemi brigava atrás, fugiu e venceu
Warm Up / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
 Lucas Di Grassi nos boxes do México (Foto: Reprodução/Twitter)

O eP da Cidade do México teve o melhor espírito novela mexicana. Antes de falar disso, Lucas Di Grassi foi uma figura diferente. No início, ensaiava a ambição de Paulina Bracho com erros ao tentar atacar Nicolas Prost, então segundo colocado. Mas acertou. Virou algo mais próximo à irmã vilã, Paola, e usurpou não apenas a posição de Prost como a liderança de Jérôme D'Ambrosio quando ninguém esperava que usasse sua vantagem, o FanBoost. Daí em diante foi só sumir e cruzar a linha de chegada em glória: líder do campeonato.

Mas enquanto Di Grassi mostrava todo o seu talento na ponta, Sébastien Buemi tentava atacar D'Ambrosio de forma um pouco desesperada. Um reclamava do outro no rádio, com ambos se sentindo prejudicados após um toque e seguidas fechadas de porta. Durante 15 voltas os dois viveram um drama, entre trocas de posições e reclamações, que parecia a trilogia das Marias. Se esse é o caso, Thalía estava com D'Ambrosio, que foi quem terminou na segunda colocação.
 
Di Grassi marcou 25 pontos contra 15 de Buemi e agora lidera o campeonato por seis tentos, 101 a 95. Para quem pensava que não seria um campeonato disputado, quase meia temporada se passou e Buemi não disparou - sequer lidera.
Lucas Di Grassi venceu na capital mexicana (Foto: Reprodução/Twitter)
A punição por liberação insegura fez Prost ser punido e perder o quarto lugar para Loïc Duval. Rebelde, a e.dams não seguiu os demais e foi à direção de prova reclamar da penalização a um de seus pilotos. Robin Frijns terminou com o sexto posto, enquanto Sam Bird foi sétimo. Daniel Abt, que vinha no P5 por boa parte da corrida, terminou em oitavo. Nick Heidfeld foi nono e Stéphane Sarrazin foi o décimo. D'Ambrosio foi o dono da volta mais rápida, ganhando dois pontos extras.

Em destaque na prova, a forma como o FanBoost foi decisivo. Di Grassi foi muito bem, mas conseguiu passar por D'Ambrosio no momento em que tentou, logo após sair dos boxes, precisamente por conta da potência presenteada pelo público. Soube usar provavelmente mais que qualquer outro piloto neste um ano e meio de história da F-E até aqui. 
 
A F-E volta agora em 20 dias, quando chega a Long Beach no dia 2 de abril. Aliás, o próximo mês tem duas corridas: a outra é em Paris, dia 23.

Confira como foi a corrida:

Sol bem forte, céu azul e arquibancadas cheias davam um clima dos mais interessantes para o começo do eP do México. A largada colocou logo o pelotão no setor do estádio onde todo mundo parecia encaixotado. No meio da fila, um problema com uma das Aguri parando e complicando a fila. Bruno Senna deu um toque e ficou com um pedaço do bico danificado.
 
Por fora da chicane, António Félix da Costa foi quem sofreu com a falta de espaço e passou reto e logo em seguida se viu às voltas com a punição. Seus mecânicos mexeram no carro no parque fechado, então uma punição de 10s.

Quem se meteu a ousar foi, claro, o líder do campeonato. Sébastien Buemi testou as águas e colocou o bico da e.dams por fora de Daniel Abt para tomar a quarta colocação na terceira volta com linda ultrapassagem.
 
Na tentativa de ir atrás da vitória, Di Grassi por duas vezes escapou na entrada da primeira chicane e acabou não conseguindo. Pela 14ª volta, os cinco primeiros colocados formavam um pelotão impressionante. D'Ambrosio era mais lento no ritmo, como era esperado, mas não muito mais. Ainda conseguia se segurar sem tanta pressão assim.
 
Di Grassi, Jean-Éric Vergne e o piloto da casa, Salvador Durán, ganharam o FanBoost. Mas Vergne teve prolemas e caiu do sexto lugar onde chegou a estar para fora do top-10. Enquanto isso, Sam Bird, o companheiro de Virgin, fazia a volta mais rápida. Atrás, Durán passava Conway pela 13ª posição para o delírio da galera.
Durán teve seus momentos para fazer o povo vibrar (Foto: Aguri)
Na volta anterior às paradas para troca de carro, Di Grassi enfim conseguiu o que tentara antes. Retardou a freada na volta 22, jogou por dentro e tomou a segunda colocação de Prost. No final do giro, os cinco primeiros foram ao mesmo tempo.
 
Assim como em Buenos Aires, a e.dams trabalhou para Buemi. Fez Prost segurar um pouco tirando uma viseira, enquanto o suíço ganhava. Mas foi a única mudança. Só que no giro do retorno, Di Grassi já fez uso do FanBoost e foi para dentro de D'Ambrosio na reta dos boxes. Ultrapassou e passou a ter a prova nas mãos.

Após todas as paradas para trocar carros, Di Grassi, D'Ambrosio, Buemi, Prost, Abt, Loïc Duval, Nick Heidfeld, Sam Bird, Robin Frijns e Bruno Senna ocupavam o top-10. Duas e.dams, duas Audi ABT, duas Dragon e duas Mahindra, além de uma Andretti e um bólido da Virgin.
 
Buemi parecia desesperado e tentava colocar o carro em qualquer espaço para tomar a posição do belga da Dragon, que se defendia bem. No 29º giro, a vontade foi tamanha que Buemi encaçapou a traseira de Jérôme. No momento, nenhum grande prejuízo para ambos, mas deu o tom do ritmo do líder do campeonato. Di Grassi já abria mais de 3s para os dois.

Uma passada direto que passou quase despercebida foi a de Sam Bird. Ele atrasou a freada e tentou passou Nick Heidfeld, mas passou também a curva. Perdeu de volta. Enquanto isso, Buemi ia para dentro de D'Ambrosio e passava a ser espremido na chicane. Ganhou o posto, mas passando por fora. A e.dams estudava se o piloto teria de devolver a posição quando Prost atacou, D'Ambrosio errou e perdeu posição até para Abt. Mas se recuperou, passou pelos dois e Buemi devolveu o posto.

Depois, Prost ainda foi punido por conta da saída insegura dos boxes, algo que enfureceu a equipe francesa. Buemi, na frente, não passou D'Ambrosio. Os dois cruzaram a linha de chegada quase juntos, lado a lado, mas melhor para o belga.

F-E 2015/2016, eP da Cidade do México, final:

1 LUCAS DI GRASSI BRA AUDI ABT 43 voltas  
2 JÉRÔME D'AMBROSIO BEL DRAGON +5.416  
3 SÉBASTIEN BUEMI SUI E.DAMS +5.552  
4 LOÏC DUVAL FRA DRAGON +16.774  
5 NICOLAS PROST FRA E.DAMS +30.593  
6 ROBIN FRIJNS HOL ANDRETTI +33.893  
7 SAM BIRD ING VIRGIN +34.344  
8 DANIEL ABT ALE AUDI ABT +35.467  
9 NICK HEIDFELD ALE MAHINDRA +41.789  
10 STÉPHANE SARRAZIN FRA VENTURI +42.707  
11 BRUNO SENNA BRA MAHINDRA +43.109  
12 OLIVER TURVEY ING CHINA +44.014  
13 MIKE CONWAY ING VENTURI +44.206  
14 NELSINHO PIQUET BRA CHINA +46.676  
15 SIMONA DE SILVESTRO SUI ANDRETTI +49.387  
16 SALVADOR DURÁN MEX AGURI +1:08.498  
17 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA VIRGIN +1 volta  
18 ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA POR AGURI +11 voltas NC
 
VEJA A EDIÇÃO #19 DO PADDOCK GP, QUE ABORDA STOCK CAR, F1, INDY E F-E