FE

Di Grassi vence bloqueio de Trulli na largada, desfila para vitória em Berlim e abre vantagem em cruzada com Piquet

Lucas Di Grassi demorou três curvas para vencer. Foi isso, três curvas. Quando Jarno Trulli espalhou e Di Grassi passou, ninguém mais representou perigo ao piloto da Audi ABT. Di Grassi abriu mais e mais, chegou a ter 13s de frente

Warm Up / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
Lucas Di Grassi demorou três curvas para vencer o eP da Alemanha deste sábado (23), no aeroporto desativado de Tempelhof. Foi isso, três curvas. Quando Jarno Trulli espalhou e Di Grassi passou, ninguém mais representou perigo ao piloto da Audi ABT. Lucas abriu mais e mais, chegou a ter 13s de frente. Terminou a 7s5, mais que o suficiente para abrir na liderança do campeonato. Vitória inapelável de Di Grassi, em meio a toda as cruzadas com Nelsinho Piquet, para confirmar que é, de fato, o melhor piloto da temporada inaugural da F-E após oito corridas. Faltam três.
 
Jérôme D'Ambrosio nunca pareceu disputar a mesma corrida que Di Grassi, e o segundo lugar premiou mais uma corrida sólida do belga. Ainda sem vencer provas ou ter um carro tão potente, D'Ambrosio é bastante sólido no ano, algo que deveria fazer a Dragon correr atrás dele para a segunda temporada.
Sébastien Buemi ficou na dele, ultrapassou quando deu e marcou mais 15 pontos na classificação. O bastante para mantê-lo na disputa, apesar da distância para Lucas ter crescido mais dez pontos. 
 
E após Loïc Duval, na quarta colocação, Nelsinho Piquet, quinto, terminou até que saindo bem ao largar no 13º lugar. O gerenciamento de energia, o uso da potência extra na hora certa e a inteligência para as ultrapassagens estiveram todas ali mais uma vez, só que o buraco em que se enfiou na classificação foi simplesmente grande demais. 
Lucas Di Grassi venceu em Berlim (Foto: Reprodução/Twitter)
Nick Heidfeld, Stéphane Sarrazin, Jean-Éric Vergne, Sam Bird e Vitantonio Liuzzi concluíram o top-10. Bruno Senna foi apenas 19º em mais uma prova de muita dificuldade para ele e a Mahindra.
 
A F-E volta em duas semanas, 6 de junho, à frente do Kremlin em Moscou. O GRANDE PRÊMIO acompanha.

Confira como foi a corrida:

No aeroporto cheio de um espaço incomum na F-E, as primeiras curvas contaram com alguma ação. Jarno Trulli segurou o ímpeto de Lucas Di Grassi na primeira tentativa, dando a impressão de que ia formar um trem. Só que na curva três, Trulli errou o contorno e perdeu a liderança para Di Grassi, claramente mais rápido.
Outro que atravessou foi Daniel Abt, esse rodou na curva dois e caiu para o fim da fila. Ainda deu sorte de ter saído ileso, já que quase todo mundo teve de desviar dele.
 
Lá pelo meio da fila, Nelsinho Piquet começava a recuperar posições. Com o FanBoost ainda há usar dusa vezes, o brasileiro largou bem e entrou no top-10.
 
Trulli, apesar de conseguir ser rápido em uma volta não era capaz de se manter entre os primeiros. Em oito voltas o italiano já estava fora da zona de pontuação. Um pouco mais estranho: o companheiro, Vitantonio Liuzzi, parecia lavar a alma. Após três corridas de total sofrimento, era quinto colocado.
 
D'Ambrosio não parecia muito intimidado que na sua frente tinha Sébastien Buemi. A perseguição tinha bons momentos, com o belga da Dragon chegando bem perto da traseira do suíço em vários momentos. 
 
Enquanto D'Ambrosio e Buemi promoviam uma briga pesada pelo segundo lugar, Di Grassi ia abrindo com vontade na frente. Na 15ª volta a diferença era de 12s126.
 
Quando chegou a 17ª, todos os pilotos na pista que ainda não tinham parado - apenas Trulli e Stéphane Sarrazin já tinham trocado de carros - precisavam ir aos boxes urgentemente à excessão de Piquet, sempre excepcional no gerenciamento da energia elétrica. Mas preocupado em controlar, Piquet foi passado de uma vez por Jean-Éric Vergne, Sam Bird e António Félix da Costa, que foram aos boxes.
 
O brasileiro da China ficou na pista e chegou a andar uma volta na ponta antes de parar. Quando voltou, no entanto, a estratégia não se mostrou muito efetiva. Voltou na oitava posição, atrás de Félix da Costa. 

Buemi não teve um bom pit-stop. Voltou em quarto, atrás de D'Ambrosio e de Heidfeld, que logo passou. O suíço se adiantou, e Nick ficou com a pressão de Duval para ter de cuidar - com muitas dificuldades. 
 
Sem ter de se preocupar com gerenciar energia elétrica na segunda parte da corrida, logo Nelsinho acelerou bem e marcou a volta mais rápida da prova em 1min24s435.
 
As duas Amlin Aguri ganharam de presente uma punição por terem feito pit-stop abaixo do tempo mínimo. Péssimo gerenciamento num momento em que a equipe parece cada vez mais ganhar corpo. 
 
Mais na frente, Duval continuava a pressionar Heidfeld, até que na volta 25 conseguiu, enfim, passar o alemão. Melhor corrida do piloto Audi no WEC na temporada da F-E.
 
Piquet foi ao ataque. Pulou com FanBoost para passar inapelavelmente Sarrazin e logo chegar a Heidfeld. Não foi o alemão que conseguiu segurar, a as duas Venturi ficaram para trás a quatro voltas do fim da prova. 
Duas voltas para o fim, e Piquet tinha 0s8 de desvantagem para Duval.
 
Na 15ª colocação, Bruno Senna ainda recebeu um drive-through. Corrida terrível para Senna e para a Mahindra.

Piquet não atacou Duval como se esperava, resolveu manter a parcimônia para não arriscar os pontos. Para quem largou em 13º, até que não foi de todo ruim. 
 
E Di Grassi singrou a bandeirada tranquilamente, seguido por D'Ambrosio, Buemi, Duval, Piquet, Heidfeld, Sarrazin, Vergne, Bird e Liuzzi, marcando seu primeiro ponto na F-E, formaram o top-10. A melhor volta foi de Piquet.

No fim, um susto: o carro de Di Grassi teve uma pane elétrica 100 metros depois da bandeirada. "Foi inacreditável", disse o brasileiro. Sorte de campeão?

F-E, eP de Berlim, final:

1 LUCAS DI GRASSI BRA AUDI ABT 33 voltas
2 JÉRÔME D'AMBROSIO BEL DRAGON +7.586
3 SÉBASTIEN BUEMI SUI E.DAMS +10.019
4 LOÏC DUVAL FRA DRAGON +11.094
5 NELSINHO PIQUET BRA CHINA +11.561
6 NICK HEIDFELD ALE VENTURI +20.632
7 STÉPHANE SARRAZIN FRA VENTURI +20.921
8 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA ANDRETTI +21.264
9 SAM BIRD ING VIRGIN +21.641
10 VITANTONIO LIUZZI ITA TRULLI +23.222
11 NICOLAS PROST FRA E.DAMS +24.188
12 ANTONIO FÉLIX DA COSTA POR AMLIN AGURI +24.383
13 JAIME ALGUERSUARI ESP VIRGIN +28.180
14 SCOTT SPEED EUA ANDRETTI +28.735
15 DANIEL ABT EUA AUDI ABT +31.274
16 KARUN CHANDHOK IND MAHINDRA +32.289
17 CHARLES PIC FRA CHINA +33.077
18 SALVADOR DURÁN MEX AMLIN AGURI +51.743
19 BRUNO SENNA BRA MAHINDRA +53.843
20 JARNO TRULLI ITA TRULLI +2 voltas