FE

FE acaba com sorteio e passa a formar grupos do treino classificatório de acordo com pontuação do campeonato

O novo formato de corridas e os novos carros da Fórmula E terão a companhia de uma diferente formatação de treinos classificatórios. A partir da jornada 2018/19, a posição no campeonato irá definir como os grupos se formam e em que ordem partem para a pista. Os líderes do campeonato entrem, ao menos em tese, em desvantagem
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Testes de Vergne e Lotterer (Foto: DS)

Dentre as muitas novidades conhecidas para a quinta temporada da Fórmula E, que começa no próximo mês de dezembro, mas uma foi anunciada nesta terça-feira (3) com a liberação do regulamento esportivo: o formato do treino classificatório. O sorteio para definir os grupos e suas ordens foi abolido. Na quinta temporada, os grupos serão formados e irão à pista em cada etapa de acordo com a classificação do campeonato.
 
O formato utilizado desde o início do campeonato contava com um sorteio na tarde de sexta-feira ou manhã do sábado que definia quais pilotos iriam à pista em qual grupo. A prática cai. A partir de agora, os grupos de seis pilotos serão separados pela classificação do campeonato. O top-6 será o primeiro na pista, tendo, ao menos em tese, as piores condições de pista. Os pilotos que ocuparem as posições 17 até 22, tomam o traçado como quarto grupo.
 
Os seis pilotos - e não mais cinco - com a melhor volta rápida na fase de grupos seguem avançando para a Superpole, onde lutam pela pole e definem a ordem das três primeiras filas do grid de largada. 
 
A mudança é vista como positiva para os pilotos, que temiam que as corridas se tornassem verdadeiras procissões agora que as trocas de carro e idas aos boxes não serão mais necessárias.
Mitch Evans com o Gen2 (Foto: Jaguar)

"É uma melhora. Vai melhorar com certeza em pistas onde os piores carros terão em tese a chance de classificar em melhores condições de pista", falou o atual campeão da categoria, Lucas Di Grassi.
 
"Depois da quarta temporada ser definitivamente uma melhora em relação à terceira temporada, esse é um passo ainda mais positivo. Provavelmente vai dar desvantagem aos líderes do campeonato durante a temporada. Sim, em algumas pistas a diferença entre o pelotão é pequena, mas em outras pode ser bem significativa", disse Maro Engel, atualmente piloto da Venturi.
 
Como já é bem sabido, as corridas contarão com dois modos de potência: o regular e aquele mais forte, que fará os pilotos ganharem cerca de 1s por volta. Para ativarem o modo de ataque, os pilotos precisarão passar por uma zona de ativação destacada na pista. Os pilotos poderão utilizar tal modo por duas voltas durante a corrida de 45 minutos.
 
Outra mudança demonstrada no regulamento esportivo é o fim das partes 'coringa' que as equipes tinha disponibilizadas para partes do motor e do resto do trem de força. A partir da temporada 2018/19, as equipes poderão usar dois motores, inversores e caixas de câmbio num mesmo carro por toda a temporada, além de uma única bateria. Caso precisem ultrapassar esse limite, o piloto correspondente será punido com 20 posições no grid de largada.