FE

Fórmula E 'ignora' cancelamento do eP de Montreal, descarta novas etapas e fecha temporada 2017/18 em Nova York

Após ter se apressado para trazer Punta del Este de volta ao calendário para substituir São Paulo, a Fórmula E concluiu que seria melhor não ter uma prova para colocar no lugar do cancelado eP de Montreal. A informação foi dada pela revista inglesa 'Autosport'. Desta forma, o campeonato se encerrará de fato em Nova York
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Sam Bird (Foto: DS Virgin)
A Fórmula E não vai substituir o agora defunto eP de Montreal nesta temporada 2017/18. A decisão foi tomada e, desta forma, a cidade de Nova York irá receber o encerramento da jornada 2017/18 da categoria dos bólidos elétricos.
 
A informação foi divulgada nesta quinta-feira (18) pela revista inglesa 'Autosport'. De acordo com a publicação, o campeonato estudou algumas oportunidades. Uma delas a ida para a cidade inglesa de Birmingham, outra a adição de uma nova etapa na Alemanha, em Norisring, ou até mesmo transformar o eP de Roma em rodada dupla. O campeonato chegou a considerar até etapas em circuitos fechados, como Donington Park ou Brands Hatch, mas nenhuma das opções deu liga. 
 
A negociação apressada com uma cidade já precisou ser feita no fim do ano passado, quando São Paulo abandonou o então confirmado eP local e deixou a FE contra o relógio para promover uma troca, com o retorno de Punta del Este. 
 
Durante o fim de semana passado, do eP de Marrakech, Alejandro Agag - o diretor-geral da categoria - havia mostrado que não estava incomodado com a ideia de terminar o campeonato em Nova York. Agora é realmente o que vai acontecer: o campeonato terá 12 corridas e vai acabar nos dias 14 e 15 de julho.
A pista da Fórmula E no Brooklyn (Foto: FIA Fórmula E)
Com a ausência de duas corridas do que seria uma rodada dupla em Montreal, as equipes deixam de disputar o equivalente a quase R$ 3 milhões em prêmio distribuídos por pontos marcados. O atual campeão, Lucas Di Grassi, que em 2017 assegurou o título com virada no Canadá, agora se vê com duas provas a menos e e 54 pontos distante da liderança do campeonato, pertencente a Felix Rosenqvist.

O cancelamento do eP de Montreal se deu por conta da discordância da nova prefeita, Valérie Plante, em relação aos termos financeiros da corrida. Plante, que assumiu o cargo no fim do ano, chamou a etapa de "fiasco financeiro" para Montreal. Agag, de outro lado, acredita que a quebra de contrato da cidade com o campeonato tem a ver com vingança política da nova contra a antiga prefeitura.