FE
15/05/2018 12:00

Seis meses após deixar F1, Massa oficializa entrada na Fórmula E e escolhe Venturi para novo desafio na carreira

O objetivo de Felipe Massa, mesmo antes de deixar a F1, sempre foi a Fórmula E. E agora, aos 37 anos, o brasileiro finalmente vai dar um novo passo em sua carreira no automobilismo como piloto da Venturi, que nesta temporada conta com Maro Engel e Edoardo Mortara. O acordo é válido por três temporadas
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Felipe Massa assina com Venturi e corre na Fórmula E na temporada 2018/19 (Foto: Venturi)

Agora é oficial: Felipe Massa tem um novo destino em sua carreira no automobilismo. Quase seis meses depois de disputar sua última corrida no Mundial de F1, o brasileiro, atualmente com 37 anos, está confirmado como o novo piloto da equipe Venturi para a temporada 2018/19 da Fórmula E, um campeonato que marca o novo ciclo da categoria dos carros elétricos com a adoção da sua segunda geração de carros. O anúncio foi feito nesta terça-feira (15) em Mônaco, onde Felipe mora e também onde está baseada sua nova equipe na Fórmula E.

O acordo entre Massa e a Venturi, chefiada por Gildo Pastor, tem validade de três anos. O brasileiro já tem seu primeiro compromisso pela nova equipe na Fórmula E no fim de maio, quando vai testar o carro da próxima temporada, batizado pela equipe monegasca de VFE 05.

O próprio piloto, por meio das suas redes sociais, postou suas primeiras palavras como piloto da F-E. "Fala galera, estou muito feliz em anunciar que hoje dou início a uma nova fase na minha carreira. Acabo de assinar com a Venturi para correr a próxima temporada da Fórmula E. É um momento muito especial para mim e queria dividir com todos vocês", escreveu.
Felipe Massa assina com Venturi e corre na Fórmula E na temporada 2018/19 (Foto: Venturi)
A união com a Venturi e o caráter inovador do seu novo chefe foram destacadas pelo novo piloto da categoria dos carros elétricos. “Há alguns anos, tenho claro meu interesse por essa categoria inovadora e voltada para o futuro que está a se desenvolver exponencialmente. Gosto especialmente do formato das corridas, dos circuitos urbanos e do contato com os fãs. Mal posso esperar para fazer parte disso nos testes no fim do mês. Gildo sempre esteve um passo à frente quando se trata de veículos elétricos de alta performance. A equipe está em fase de crescimento e desenvolvimento. Farei tudo o que puder para contribuir para o projeto e espero estar entre os primeiros”.
 
A Fórmula E era um velho sonho para Massa antes mesmo de o piloto encerrar sua passagem pela Fórmula 1 em definitivo em 2017. Sempre que perguntado sobre suas opções de sequência de carreira, Felipe mencionava a categoria dos carros elétricos, mas também o Mundial de Endurance e o DTM. Mas a proximidade cada vez maior com a F-E evidenciou o gosto de Massa pelo certame. Recentemente, Felipe acompanhou o fim de semana da etapa de Roma, já sinalizando seu destino na carreira.


Em março deste ano, Massa participou, como convidado, da Corrida de Duplas da Stock Car ao lado de Cacá Bueno. O piloto disse que existe uma chance de disputar a Corrida do Milhão, em 5 de agosto, em local ainda não confirmado — mas que tem Goiânia como destino mais provável. E trata-se de algo que, como os trabalhos de testes da Fórmula E só começam no segundo semestre, não entra em conflito com a agenda elétrica do brasileiro.
 
No ano passado, Massa teve a chance de testar pela primeira vez um carro da Fórmula E em sessão oferecida pela Jaguar. Naquela época, a equipe britânica — representada atualmente por Nelsinho Piquet — surgiu como uma opção ao brasileiro, bem como a Mercedes, mas a marca alemã confirmou sua entrada na categoria apenas na sexta temporada, em 2019/20.
Felipe Massa ao lado do novo chefe, Gildo Pastor, e de Alejandro Agag, chefão da Fórmula E (Foto: Felipe Massa/Twitter)
Assim, na manhã desta terça-feira, a revista francesa ‘Auto Hebdo’ noticiou a aproximação entre Massa e a Venturi para o acordo que acabou por ser oficializado horas depois.

Gildo Pastor deu as boas-vindas ao seu mais novo e laureado piloto. “É uma honra dar as boas-vindas de Felipe à família Venturi. Precisava dele, da sua experiência, da sua velocidade e da sua mente aberta. A Fórmula E é extremamente complexa para acertar e pilotar. Ainda mais do que em outras categorias, o trabalho em equipe entre o piloto e a equipe de engenharia é uma das chaves para o sucesso. Os 15 anos de experiência de Felipe na F1 certamente vão nos dar um impulso. E com sua humildade, sei que ele vai ouvir a equipe e dominar rapidamente a categoria”.
 
Agora, além de ser o presidente da Comissão Internacional de Kart da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), do maior tempo que tem passado com a família, de piloto de Stock Car quando convidado e espectador ilustre (e até comentarista) das corridas de F1, agora Felipe Massa dá um renovado horizonte à sua carreira. Um horizonte elétrico.