1s1 atrás da pole, Räikkönen lamenta performance dos pneus e se conforma com 3º no grid em Baku: “Melhor do que antes”

Diante da força da Mercedes na sessão que definiu o grid de largada no Azerbaijão, Kimi Räikkönen foi o melhor da Ferrari e vai largar em terceiro neste domingo. O ‘Homem de Gelo’, contudo, lamentou não ter conseguido encaixar o melhor desempenho dos pneus na fase final do treino classificatório

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Há quase um mês, a Ferrari brilhava no treino classificatório do GP de Mônaco e tinha Kimi Räikkönen na pole-position, algo que não acontecia desde o GP da França de 2008. Naquele fim de semana no Principado, a Ferrari garantia a primeira fila, com Sebastian Vettel em segundo no grid. Mas bastaram algumas semanas para a Mercedes virar o jogo. Na tarde deste sábado (24), Lewis Hamilton dominou a sessão que lhe garantiu a pole no Azerbaijão. A melhor Ferrari foi a de Räikkönen, terceiro no grid, mas distante exatos 1s100 do tempo do britânico.

 
Sem a menor chance de brigar ao menos pela primeira fila no circuito urbano de Baku, Räikkönen entende que o grande problema foi encontrar o melhor aquecimento dos pneus supermacios, sobretudo na parte final da classificação. Ao menos, restou o consolo de poder largar uma posição acima de onde partiu no último GP do Canadá, há duas semanas.
Kimi Räikkönen lamentou por não conseguir encaixar a melhor performance com os pneus (Foto: Ferrari)
“É melhor do que antes”, comentou o piloto da Ferrari em entrevista ao antigo campeão da GP2 e hoje comentarista da Sky Sports da Itália, Davide Valsecchi. No entanto, o ‘Homem de Gelo’ mostrou grande decepção com a performance dos pneus.
 
“Foi difícil fazer os pneus funcionarem. Por sorte, com o último jogo de pneus, consegui ter uma impressão melhor, mas ainda não foi perfeito. Se você encaixar, então pode ser muito mais rápido”, comentou o veterano. “Há muito sobre como fazer os pneus funcionarem aqui e hoje foi bem mais complicado do que ontem”, destacou.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O fato de Räikkönen largar à frente de Vettel indica que o finlandês possa, cedo ou tarde durante a prova, ser superado pelo companheiro de equipe, que luta diretamente contra Hamilton pelo título. Considerando o fato de que Bottas vai largar ao lado de Lewis e imediatamente atrás de Vettel, não seria surpresa alguma ver a Ferrari trabalhar para o alemão minimizar como pode os prejuízos em caso de uma eventual vitória do tricampeão.

 
O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL todo o fim de semana de atividades de pista do GP do Azerbaijão por meio do novo livetiming.
NOVA DERROTA EM 2017 MOSTRA QUE TOYOTA E LE MANS SÃO COMO ‘ÁGUA E ÓLEO’

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube