F1

21º, Verstappen diz que “subestimou aderência” no erro que resultou em batida em Mônaco e prevê corrida difícil

Max Verstappen cometeu um erro crucial enquanto tentava fazer sua volta rápida no Q1. Deu tudo errado para o vencedor do GP da Espanha, que foi do céu no topo do pódio em Barcelona para o fim do grid do GP de Mônaco. O holandês vai compor a última fila com o brasileiro Felipe Nasr

Warm Up / Redação GP, de Sumaré

De vencedor do GP da Espanha, há duas semanas, para a última fila do grid de largada. Pouco a pouco, Max Verstappen vai conhecendo as dores e os sabores de ser um piloto de ponta na F1. Mas depois de triunfar de forma épica em Barcelona, o holandês cometeu um erro durante o treino classificatório deste sábado (28), em Mônaco, o que acabou sendo crucial para fazê-lo ficar apenas na 21ª posição do grid. Assim, Verstappen vai dividir a última fila em Monte Carlo com o brasileiro Felipe Nasr.
 
Durante sua primeira volta rápida no Q1, Verstappen abusou da confiança no chassi da Red Bull e entrou muito forte na chicane do Cassino, triscando a roda dianteira direita no guard-rail. Foi o bastante para quebrar a suspensão e fazê-lo perder o controle, batendo em seguida na barreira de proteção.
 
Max assumiu o erro e disse que subestimou a falta de aderência naquele setor do circuito de Mônaco. “Eu virei muito cedo, então trisquei o guard-rail, quebrei a suspensão e então bati na barreira”, explicou.
Do céu para o muro: Verstappen bateu com sua Red Bull no Q1 em Mônaco (Foto: Reprodução)
 

“Eu me sentia bem. Na minha primeira volta rápida eu me senti mais confiante do que nas outras, e isso também em termos de equilíbrio do carro porque meu segundo setor estava 0s2 mais rápido”, comentou o piloto, admitindo a falha. 
 
“Então, tinha tudo encaixadinho, mas então, na entrada da chicane, subestimei a aderência que eu tinha e fiz muito cedo a curva, e aí deu tudo errado”, lamentou.
 
Ao largar do fim do grid, Verstappen indicou que não tem muitas perspectivas, considerando que Mônaco é um circuito que impõe muitas dificuldades para se ultrapassar. “Vamos ver o que acontece amanhã, mas se você larga em 21º, vai ser muito difícil”, concluiu o mais jovem vencedor da F1.
 
PADDOCK GP #30 DEBATE INDY, F-E E MOTOGP