F1

ACI aponta recusa de Ecclestone por quase R$ 69 milhões para manter Monza na F1. Ímola é vista como possível substituta

O presidente do Automóvel Clube da Itália, Sticchi Damiani, falou resignado à imprensa italiana sobre a recusa de Bernie Ecclestone por uma fatia do que ele gostaria que fosse pago para manter Monza na F1. Damiani disse que Ecclestone está insatisfeito com as mudanças na pista para receber o Mundial de Superbike e tratou Ímola e Mugello como possíveis substitutas para manter a F1 na Itália

Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro

O tempo para manter Monza no calendário da F1 parece ter chegado mesmo ao fim. Casa do GP da Itália desde o início do Mundial, em 1950, o histórico autódromo tem em 2016 o último ano de seu contrato e as negociações, que já duram mais de um ano, aparentemente não avançam mais. É o que parece após a afirmação de Sticchi Damiani, presidente do Automóvel Clube da Itália.
 
Damiani chegou a dizer, no final de 2015, que um novo contrato de sete anos estava sendo finalizado após o Senado italiano aprovar uma emenda que permitiria se utilizar de lucros públicos para financiar a corrida - algo que o Automóvel Clube de Milão, presidido pelo ex-piloto Ivan Capelli, já podia fazer. Mesmo assim, três meses depois, a negociação não avançou.
É o fim para Monza (Foto: AP)
Segundo Damiani, as mudanças que Monza fará para receber o Mundial de Superbike e, espera, também a MotoGP. "Oferecemos $ 19 milhões (cerca de R$ 68,6 milhões), mas Bernie recusou. Ele não gostou das mudanças planejadas para o Mundial de Superbike", disse. E, ainda sobre Ecclestone, cutucou. "Prevaleceram interesses pessoais". Damiani havia dito antes que a exigência de Bernie era de R$ 110 milhões anuais.
 
O italiano seguiu dizendo que, em vias de manter a Itália na F1, Ímola e Mugello são opções. Damiani vê as duas longe de Monza, mas Ímola seria uma opção melhor.
 
"Nenhuma das pistas está ao nível de Monza, mas entre nada e alguma coisa, melhor alguma coisa. Imola é a mais provável, porque Mugello tem grandes problemas de infraestrutura. O estacionamento também não é grande o bastante", seguiu.
 
Desde o começo da F1, apenas em um ano o GP da Itália foi disputado em outro lugar. Foi em 1980, quando Monza estava em obras e exatamente Ímola acabou sediando a corrida. Desde que o GP de San Marino deixou de existir, em 2006, Ímola está fora da F1. Mugello, por sua vez, nunca sediou uma prova da F1, mas recentemente recebeu a homologação necessária da FIA
 
VEJA A EDIÇÃO #20 DO PADDOCK GP, QUE ABORDA F1, MOTOGP, INDY E F-E