Albon relembra ‘quase ida’ para Fórmula E após F2: “Melhor coisa que tem fora da Fórmula 1”

Alexander Albon falou sobre quando teve contrato para correr na categoria elétrica, mas rompeu acordo para assinar com a então Toro Rosso na Fórmula 1

Após dizer que está perto do seu auge na Fórmula 1, Alexander Albon detalhou a saga de como se tornou piloto da maior categoria do esporte a motor, quando já tinha contrato com a Fórmula E. O anglo-tailandês chegou a ter contrato com a Nissan para 2019, mas cancelou o acordo após assumir compromisso para correr na então Toro Rosso — depois AlphaTauri e agora Visa CashApp RB.

O piloto de 27 anos participou nesta segunda-feira (5) do lançamento do carro da Williams para a temporada 2024. Alexander vai para o terceiro campeonato com a equipe inglesa neste ano.

Relacionadas


“A Fórmula E é a melhor coisa para se fazer fora da Fórmula 1”, disse Albon ao podcast High Performance. “Estive perto da Fórmula E e pensei: ‘Incrível, isso é otimo’. Falei com o Helmut Marko, chefe do programa da Red Bull, antes de assinar contrato [com a Nissan] e perguntei: ‘Existe alguma chance de ir para a F1?’ E ele respondeu: ‘Não, nossos lugares estão ocupados, sem possibilidade'”, completou.

“Claro, naquele momento, eu fiquei decepcionado. Eu pensei: ‘Ok, é a Fórmula E’ e essa foi minha convicção”, continuou. Em setembro de 2018, o anglo-tailandês, que disputava a Fórmula 2 na ocasião, foi anunciado como piloto da Nissan para 2019. Mas o cenário mudou muito até o final daquele ano, com Daniel Ricciardo, então na Red Bull, assinando com a Renault, o que ocasionou na promoção de Pierre Gasly.

Alexander Albon é hoje um dos pilotos mais cotados por equipes da Fórmula 1 (Foto: AFP)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

“Assinei contrato com a Fórmula E talvez três ou quatro meses antes da corrida final da Fórmula 2. Quando chegou na decisão, o assistente do Helmut Marko me chamou e disse: ‘Você pode ir ao escritório do Helmut aqui no autódromo?’”. Tivemos um papo sobre trabalho no simulador. Eu estava trabalhando no simulador da Mercedes e ele queria saber quanto eu ganhava. Disse um grande número e ele disse: ‘Ok, podemos fechar?’. Pensei: ‘Bom, ele aceitou meus termos para trabalhar no simulador’”, afirmou Albon.

“Mas quando estava saindo da sala, ele disse algo na linha de: ‘Como está seu contrato na Fórmula E? Você pode rompê-lo?’. A única coisa que tinha certeza do meu acordo era uma cláusula em caso de proposta para a Fórmula 1. Marko disse: ‘Ok, vou te trazer de volta’. Em 24 horas, ele me ligou, disse que estava tudo certo, ‘vamos fazer seu anúncio à imprensa em uma hora’ e me tornei piloto de F1”, finalizou Albon.

🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.