Albon se diverte nos EUA, mas brinca: “Ultrapassei mais do que gostaria”

Alexander Albon largou em sexto, tocou na primeira curva com Carlos Sainz, caiu para último e fez uma senhora corrida de recuperação até o quinto lugar. Se divertiu, mas brincou que não queria ter tido tanto trabalho para buscar o resultado

Alexander Albon foi um dos grandes destaques do GP dos EUA. O tailandês largou em sexto, mas despencou para último na primeira curva ao se tocar com Carlos Sainz. Aí, com um bom carro – mesmo que levemente danificado – e muita coragem, buscou o quinto lugar. Albon se divertiu, mas brincou com o fato do incidente da largada ter mudado totalmente a história de sua corrida.
 
Albon não vê ninguém com culpa pelo incidente da primeira volta, mas não deixou de destacar que o carro sofreu com o toque e a saída da pista.
 
"Foi uma corrida bem movimentada. Fiquei um pouco frustrado com a largada, não tinha para onde ir ali, mas também não culpo ninguém, não cabem mesmo três carros em um espaço para um só. Mas nós passamos por cima dos kerbs e isso danificou um pouco o carro", disse.
Alexander Albon tocou com Carlos Sainz na largada (Foto: Getty Images/Getty Images Red Bull Content Pool)

Para o tailandês, foi um bom dia por ter terminado na posição em que deveria com a Red Bull e pela grande recuperação, mas não é algo positivo ter de fazer provas escalando o pelotão inteiro.

 
"A nossa corrida mudou completamente pela largada, mas acho que fizemos um bom trabalho para terminar onde terminamos, sem safety-car nem nada do tipo. Eu me diverti na corrida, fiz muitas ultrapassagens, talvez mais do que eu gostaria de ter feito, mas não foi mesmo tão ruim", completou.
 
Paddockast #40
QUEM VOCÊ ENTREVISTARIA NO GP DO BRASIL?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube