Alesi critica complexidade das corridas de F1 atuais: “Para entender as regras, é preciso ser engenheiro”

O ex-piloto Jean Alesi entrou no coro e disse que há aspectos muito complicados do regulamento da F1 para o público entender com facilidade, e é preciso corrigir isso antes que seja tarde. Alain Prost concordou com ele

O ex-piloto francês Jean Alesi criticou a complexidade das regras da F1 atual. De acordo com ele, é preciso tornar mais fácil a compreensão da categoria para o público-médio antes que seja tarde demais.
 
No último fim de semana, na Áustria, por exemplo, foram impostas, ao todo, 70 posições em forma de punição no grid de largada para quatro pilotos: os dois da Red Bull perderam dez lugares cada, e os dois da McLaren, 25. Daniel Ricciardo, Fernando Alonso e Jenson Button ainda largaram com punições para cumprir.
 
“Vejo que, para entender as regras, agora é preciso ser um engenheiro”, criticou Alesi. “Precisamos parar com isso enquanto é tempo.”
Jean Alesi pilotou a Sauber de 1995 em um desfile de carros antigos que aconteceu neste fim de semana, antes do GP da Áustria (Foto: Red Bull/Getty Images)
Alain Prost também tocou no assunto, mostrando descontentamento semelhante.
 
“É preciso mudar isso nas regras. O piloto já é castigado pela quebra do motor, por que penalizá-lo ainda mais? Qual é a lógica?”, questionou o tetracampeão.
 
O coro conta, ainda, com dirigentes da McLaren e da Red Bull.
 
Para que qualquer mudança neste aspecto aconteça já em 2015 ou então em 2016, é preciso haver concordância unânime das escuderias. Sem isso, nenhuma alteração pode entrar em vigor antes de 2017.
Jean Alesi dividiu o pódio em Montreal em 1995 com Rubens Barrichello e Eddie Irvine (Foto: Getty Images)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube