Alfa Romeo confirma Zhou, define primeiro chinês titular na F1 e fecha grid para 2022

Sem mistério algum, Guanyu Zhou foi anunciado como novo piloto da Alfa Romeo para a temporada 2022. O piloto substituirá Antonio Giovinazzi e será o primeiro chinês titular de uma equipe do grid da Fórmula 1

Lewis Hamilton emociona Interlagos ao erguer a bandeira do Brasil (Vídeo: Reprodução/F1 TV)

Está definitivamente definido o grid da temporada 2022 da Fórmula 1. A Alfa Romeo, como já era esperado, anunciou nesta terça-feira (16) a contratação de Guanyu Zhou e fechou assim a dupla formada também por Valtteri Bottas para o próximo campeonato. Natural de Xangai, o piloto de 22 anos será o primeiro chinês a ser piloto titular de uma equipe no Mundial de F1, enquanto a Itália deixará de ser representada por um competidor na categoria no ano que vem. Antonio Giovinazzi, depois de três anos como piloto da equipe de Hinwil, está fora do grid.

O acerto entre Zhou e Alfa Romeo para a Fórmula 1 em 2022 está longe de surpreender. No último fim de semana, por exemplo, uma concessionária da marca italiana na China deixou escapar a ida de Guanyu para a equipe ao escrever na sua vitrine: “Força, China! Força, Alfa Romeo, Vamos, Guanyu Zhou!”. Daí em diante, era somente esperar pela definição do anúncio.

Na manhã da terça-feira, as peças foram rapidamente caindo no tabuleiro. Inicialmente, Oscar Piastri, tido como último rival de Zhou na luta por um espaço no grid de 2022, teve o nome anunciado como piloto reserva da Alpine; na sequência, a Alfa Romeo confirmou que Antonio Giovinazzi deixaria a equipe no fim do ano. Faltava só mais uma coisa, que logo veio: o fim da novela Zhou.

Guanyu Zhou é piloto da Alfa Romeo (Foto: Alfa Romeo)

LEIA TAMBÉM
+Opinião GP: Hamilton traduz amor ao Brasil com recital em Interlagos que traz alma à F1

Somente dois outros chineses chegaram a participar de sessões oficiais da Fórmula 1, mas na condição de reservas: Ma Qinghua, em quatro TL1 em 2012 com a HRT e no TL1 do GP da China de 2013, com a Caterham; e Adderly Fong, que fez o treino de sexta-feira do GP de Abu Dhabi de 2014 com a Sauber.

“Sonhei desde criança em escalar o mais alto possível no esporte que eu amo e, agora, o sonho se tornou realidade. É um privilégio começar minha carreira na F1 numa equipe tão icônica e que colocou tanto talento jovem na F1 no passado. O sonho virou realidade. Sinto que estou preparado para o desafio imenso da F1, o topo do meu esporte. A meta do ano que vem será aprender o quanto for possível e o mais rápido que der. Ser o primeiro chinês na F1 é histórico no esporte a motor chinês. Sei que muitas esperanças estarão depositadas em mim e, como sempre, levarei essa motivação para me tornar melhor e alcançar mais”, disse Zhou.

Antes da confirmação de Zhou, vários nomes chegaram a ser apontados no paddock como futuro companheiro de equipe de Bottas. Desde Alexander Albon — que foi confirmado como  piloto da Williams em 2022 —, passando por Nyck de Vries, campeão da Fórmula E e reserva da Mercedes, Oscar Piastri, líder da Fórmula 2, o prodígio francês Théo Pourchaire, e mais recentemente Colton Herta. Mas o acesso do norte-americano esteve condicionado à compra da Sauber — que corre sob o nome de Alfa Romeo na F1 — por parte de Michael Andretti mas a operação não foi concretizada na última hora depois que divergências sobre o controle acionário da empresa suíça.

Membro da academia de desenvolvimento de jovens pilotos da Alpine, Zhou, que já integrou também a Academia da Ferrari, está na Fórmula 2 desde a temporada 2019, sempre com a UNI-Virtuosi. Neste ano, o asiático inclusive teve a chance de pilotar o carro de F1 da Alpine no treino livre 1 do GP da Estíria, no Red Bull Ring.

O piloto, que neste ano é companheiro de equipe do brasileiro Felipe Drugovich, soma ao todo quatro vitórias na categoria de acesso à F1 e faz neste ano seu melhor campeonato e está em segundo lugar, com 142 pontos, 36 a menos que Piastri, piloto australiano da Prema. A F2 tem pela frente duas rodadas triplas, em dezembro, na Arábia Saudita e em Abu Dhabi, para definir o campeão de 2021.

“É um prazer receber Guanyu Zhou na Alfa Romeo. É um piloto muito talentoso, como os resultados mostraram na F2, e estamos ansiosos para ajudar que seu talento floresça mais ainda na F1. Estamos orgulhosos da nossa dupla para 2022 e confiantes que Zhou formará uma parceria muito bem-sucedida com Valtteri. Estamos ansiosos também por receber novos fãs chineses para a equipe: a Alfa Romeo é uma marca histórica que incorpora o espírito da F1, e faremos o máximo para tornar a experiência do esporte ótima para a China”, comentou Frédéric Vasseur, chefe de equipe da Alfa Romeo.

Ligado à Academia da Alpine, Zhou será piloto da Alfa Romeo em 2022 (Foto: Alpine)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Desta forma, se Piastri confirmar o favoritismo e for campeão da Fórmula 2 nesta temporada, então o australiano, também ligado à Alpine, terá de buscar outra categoria para competir ou então ser alocado pela escuderia francesa no papel de piloto de testes ou reserva, já que a F2, por força de regulamento, não permite que o campeão faça parte do grid do campeonato seguinte.

Zhou, por sua vez, chega à Fórmula 1 muito por conta também da força dos patrocinadores locais. Segundo informa o diário suíço Blick, o chinês levará à Alfa Romeo um aporte anual de cerca de US$ 25 milhões (ou R$ 136,4 milhões).

De todas as dez equipes do grid, a Alfa Romeo é a única que vai para a temporada onde tudo será novo, em 2022, com uma dupla de pilotos totalmente reformulada. Bottas vai chegar a Hinwil para ocupar a vaga deixada por outro finlandês, Kimi Räikkönen, que se despedirá da Fórmula 1 ao fim deste ano, enquanto Zhou vai substituir Giovinazzi, especulado como possível futuro piloto da Ferrari no projeto de hipercarros para o Mundial de Endurance.

É do desejo da Alfa Romeo colocar Valtteri Bottas para estrear com a equipe já no chamado “teste dos novatos”, em Abu Dhabi, dois dias depois do desfecho da temporada 2021, em acordo costurado por Frédéric Vasseur com o amigo Toto Wolff, chefe da Mercedes. É possível também que Zhou, logo depois do fim da sua campanha na Fórmula 2, faça parte das atividades de pista em Yas Marina antes da transição para 2022.

F1 EM SÃO PAULO: HAMILTON VENCE NA RAÇA, VERSTAPPEN 2° | Briefing
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar