“Aliviado” com renovação de contrato, Massa exalta reação e diz: “Vettel não seria líder com a Ferrari”

Em entrevista concedida ao diário espanhol ‘As’, Felipe Massa falou sobre seu passado, presente e futuro. O brasileiro revelou que viveu momentos de tristeza em 2011, ficou aliviado por renovar com a Ferrari e, entre outras coisas, disse que se vê melhor que Rubens Barrichello na equipe italiana

Impossível negar que Felipe Massa mudou da água para o vinho depois das férias de verão na Europa. Sua campanha desde o GP da Bélgica, está entre as melhores do grid, com 68 pontos conquistados até o GP da Índia. Ainda que Sebastian Vettel esteja em grande fase e tenha uma performance arrasadora, com quatro vitórias consecutivas, apenas Massa e Kimi Räikkönen pontuaram todas as vezes desde Spa-Francorchamps. A boa performance foi decisiva para que a Ferrari renovasse com Felipe, que, aos 31 anos, seguirá para sua oitava temporada em Maranello.

Em entrevista ao diário espanhol ‘As’, o brasileiro deixou claro que a tensão e a incerteza acerca do seu futuro são coisas do passado. “Sim, estou muito aliviado. Tranquilo, contente, com certeza é a continuação de uma longa carreira na Ferrari. Evidentemente [que a renovação foi assinada] porque a segunda parte do campeonato foi muito diferente da primeira, e agora acredito que a renovação foi justa”, opinou Massa, que concedeu a entrevista no paddock em Abu Dhabi, na sexta-feira (2).

Massa: mais confiante e aliviado após assinar renovação com a Ferrari para 2013 (Foto: Ferrari)

Muitos analistas viam em Felipe um semblante triste no começo da temporada. Mas o piloto da Ferrari, vice-campeão mundial em 2008, vai além e disse que a situação já vinha desde a temporada passada. “É verdade, não estava bem, não. Não estava tranquilo e estava triste. Às vezes, pensava em minha casa: ‘O que acontece? Tenho um dos melhores trabalhos do mundo, um trabalho invejado por todos e querido por todos…’ Não sei por que não estava bem. Agora estou totalmente feliz, tudo mudou e não sei explicar a razão”.

Recentemente, Massa revelou, à ‘Revista ESPN’, que fez análise para entender o momento delicado na carreira e, principalmente, para reagir e conseguir assegurar sua permanência na F1. Depois do contrato assinado dias após o GP da Coreia do Sul, o brasileiro disse estar “totalmente feliz por continuar na equipe dos sonhos, quase como o Real Madrid ou a Seleção Brasileira, porque é muito bom, significa ser alguém diferente”.

Felipe disse que não se sentiu incomodado pelo fato de a Ferrari ter sondado outros pilotos para a sua vaga, como Mark Webber, mas deixou claro que ficou muito satisfeito pela maneira como Fernando Alonso trabalhou por sua permanência em Maranello. “Trabalhamos muito para que a equipe tenha sucesso. Trabalhamos bem juntos. É necessário trabalharmos juntos, unidos e felizes para que as coisas possam sair bem”.

“Fernando disse tantas coisas positivas de mim porque sabe como eu sou. Não imaginava ver Alonso falando mal de mim, eu imaginava [Fernando] falando bem, como eu falo dele. Alonso tem muitos [motivos] para falar bem de mim, e eu também”, destacou.

Ainda sobre Alonso, Massa entende que não se preocupa mais por ser o segundo piloto da Ferrari. “Fernando é um piloto bravíssimo e me coloca muitas dificuldades na pista. Sempre haverá as comparações. Mas já não me preocupa. A princípio, sim, estava muito preocupado com isso, mas agora já não mais. Sou mais competitivo ficando menos preocupado”, garantiu.

Entretanto, quando questionado se Alonso foi favorável à sua permanência na Ferrari por não lhe oferecer problemas, Felipe foi taxativo. “Não tive bons resultados, mas estou certo que posso lhe colocar dificuldades. Na pista, mas fora da pista, não, quanto a coisas como acerto… acredito que eles [Ferrari] podem falar mais coisas boas do que coisas ruins a meu respeito. É certo que não sou um cara difícil fora da pista”, disse. “Me sinto competitivo e com vontade de lutar contra qualquer piloto, e entre eles, está Fernando”, complementou.

Massa diz que não será fácil para o companheiro de equipe conquistar o tricampeonato, mas diz que “Alonso tem feito um campeonato incrível, verdadeiramente incrível, e fará tudo para vencer, mas o carro de Vettel é mais rápido, e isso conta muito. Mas qualquer coisa, como um incidente, um problema mecânico, e tudo muda”.  Questionado se Vettel estaria na mesma posição que ocupa hoje com um carro da Ferrari, Felipe, a princípio, se esquivou, mas depois opinou. “Não sei. É um grande piloto, mas acho que não, acho que ele não seria líder”.

Massa disse que se vê melhor que o compatriota Barrichello (Foto: Ferrari/ Ercole Colombo)

Tendo Alonso como referência e primeiro piloto, natural que surjam as comparações com os tempos de Michael Schumacher e Rubens Barrichello. Entretanto, Felipe deixou claro que se vê melhor que o compatriota: “Tenho melhor porcentagem de vitórias [6,51% contra 3,41%], perdi um campeonato na última curva, ganhei seis corridas neste ano [2008]. Isso Rubens jamais fez”, analisou.

Por fim, Massa falou que não lhe falta nada na vida, com exceção do título mundial de F1. Depois de ter ficado tão perto da glória, em 2008, o brasileiro disse que não se sente frustrado por perder, por apenas um ponto, o campeonato daquele ano para Lewis Hamilton. “Quero imaginar que poderei voltar a lutar para ganhar um título. Não penso muito, não sou um frustrado, estou feliz com a minha vida, com o que eu consegui. Naquele ano, acredito que mereci mais que ninguém, mas não venci. Não venci por muitos motivos. Quem sabe quais são? Eu não, mas não posso estar frustrado porque fiz um campeonato perfeito e merecia”.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube