F1

Alonso acredita que mudança na pontuação pode reduzir disputa e “não mudaria nada”

A ideia surgiu na última reunião do grupo de estratégia, em Silverstone, e visa contemplar também as equipes menores do grid. Porém, para Fernando Alonso, a nova pontuação não funcionaria tão bem e não seria efetiva para a disputa na temporada
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Fernando Alonso (Foto: McLaren)

Fernando Alonso não está certo de que uma mudança na distribuição de pontos resolveria o problema das equipes menores no grid. Na última reunião do Grupo de Estratégia da F1, composto pelas seis melhores equipes do grid, no GP da Inglaterra, surgiu a proposta de expandir os pontos para os 15 primeiros colocados de cada corrida, em uma tentativa de aumentar a competição na tabela. Mas o espanhol acha que o custo da manobra pode ser alto.
 
Segundo o piloto da McLaren, a expansão dos pontos eliminaria momentos de disputa e de esforço para terminar a corrida dentro do top-10. Assim, com cinco posições a mais nos pontos, os pilotos poderiam simplesmente perder o estímulo na pista para ir atrás de melhores resultados e diminuir a qualidade do espetáculo.
Alonso acha que mudança de pontos vai reduzir competitividade da F1 (Foto: McLaren)
"Os principais pilotos vão obter pontos e é muito bom mesmo se marcar apenas dois. Eu me lembro quando Jules Bianchi foi o nono em Mônaco e pontuou, era como um milagre e um grande momento para o esporte. Eu aceito todas as decisões, mas é provável que os pontos continuem sendo exclusivos", afirmou Alonso em para o portal alemão ‘Sport.de’.
 
Além disso, o asturiano acredita que a mudança seria um tanto quanto ineficiente em termos de campeonato, visto as alterações que já se passaram na F1. Entre 2003 e 2009, os oito primeiros colocados pontuavam, onde o primeiro lugar era contemplado com apenas dez pontos na tabela. O sistema como é hoje na categoria vigora desde 2010, pontuando os dez primeiros colocados.
 
"Seria bom para o 15º lugar e nada iria mudar. Primeiro foi apenas para os seis primeiros, em seguida, para oito e agora dez, temos de manter o ajuste do sistema. O vencedor pode obter 50 ou mesmo 100 pontos. Não é meu trabalho fazer esses cálculos, mas eu sou contra dar todos os pontos. Deve ser um obstáculo que não permita entrar nos pontos e eu acho que é certo para acabar com os pontos em 15º lugar", encerrou Alonso.
GP DA INGLATERRA EVIDENCIA DIVISÃO DA F1

COM ENORME DISPARIDADE DOS CARROS, PILOTOS FICAM DE MÃOS ATADAS

Para Fernando Alonso, mudança na pontuação pode diminuir brigas por colocação (Foto: AFP)