Alonso apoia presidente da Ferrari em crítica ao espetáculo da F1 e cita MotoGP como exemplo de mudança

Dias após visitar o Mundial de Motovelocidade em Mugello, Fernando Alonso citou a MotoGP como exemplo de mudança ao criticar o espetáculo oferecido pela F1

A cobertura completa do GP da Áustria no GRANDE PRÊMIO
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana
As imagens desta quinta-feira de F1 na Áustria

Fernando Alonso seguiu a linha do presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, e avaliou que o espetáculo oferecido hoje pela F1 não é bom o bastante. Na última semana, a revista inglesa ‘Autosport’ revelou que o chefe de Maranello escreveu a Bernie Ecclestone sugerindo um encontro para discutir maneiras de melhorar o Mundial.
 
Às vésperas do GP da Áustria, Alonso concordou do Montezemolo e falou em buscar alternativas para melhorar o show.
Fernando Alonso voltou cheio de ideias depois de visitar a MotoGP (Foto: Repsol)
“Acho que, de certa forma, o presidente está certo. Neste ano, o show que estamos fazendo não é bom o bastante em algumas corridas”, avaliou Alonso. “Além disso, quando um time está dominando tanto como a Mercedes, os espectadores provavelmente preferem mais ação. Eles gostaram do GP do Canadá e todo mundo pareceu gostar”, avaliou.
 
“Nós vamos tentar fazer um show nas próximas corridas e se os times, os fãs ou quem quer que seja, tiverem ideias, serão bem-vindos para fazermos um bom show”, continuou Fernando.
 
Poucos dias após visitar a MotoGP em Mugello, o espanhol citou o exemplo do Mundial de Motovelocidade para sugerir modificações que podem ser feitas na F1 sem provocar um gasto excessivo.
 
“Os custos são o maior problema. Todas as ideias são muito relacionadas aos custos e não é algo fácil”, avaliou. “Em minha opinião, o Kers deveria voltar para os nossos carros. Nós temos o elétrico, mas nós não temos aquele impulso extra para ajudar na ultrapassagem – agora todos nós usamos a mesma energia nos mesmos lugares, então é impossível ultrapassar”, considerou.
 
“Os pneus são muito importantes e uma competição de pneus movimentaria as coisas”, ponderou. “Nós poderíamos ajudar os times menores como na MotoGP e dar a eles um pneu diferente ou combustível para a corrida, então talvez pegar uma ideia de outros esportes”, completou.
 
Na temporada 2014, a MotoGP introduziu a categoria Aberta, onde os times contam com uma ECU padrão, fornecida pela Magneti Marelli, e, por isso, podem usar um pneu traseiro mais macio do que os rivais e tem um tanque de combustível com maior capacidade. Além disso, os times que obedecem a este regulamento não tem o motor congelado e podem trabalhar no desenvolvimento do propulsor ao longo do ano.

O GRANDE PRÊMIO cobre 'in loco' o GP da Áustria, oitava etapa do Mundial de F1, com a repórter Evelyn Guimarães. Para acompanhar todo o noticiário, clique aqui.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube