F1

Alonso cita Räikkönen e defende Vandoorne: “Está mais perto que outros companheiros de equipe”

Fernando Alonso entende que é uma questão de tempo até que a McLaren encontre uma solução para os problemas no carro de Stoffel Vandoorne. E que, uma vez que isso aconteça, o belga vai obter bons resultados. O bicampeão ainda foi mais longe e vê o jovem mais próximo de seu desempenho do que foi Kimi Räikkönen na Ferrari

Warm Up, de Hockenheim / EVELYN GUIMARÃES, de Hockenheim

Fernando Alonso saiu em defesa do companheiro de McLaren, Stoffel Vandoorne, e tentou explicar a razão dos problemas do belga nesta temporada. O bicampeão afirmou que Vandoorne está muito mais próximo de seu desempenho do que antigos colegas de equipe, incluindo o campeão do mundo pela Ferrari, Kimi Räikkönen. Stoffel vem enfrentando mais dificuldades que Alonso no atual campeonato e, na classificação deste sábado, foi capaz de fazer apenas o último tempo da tabela. Para o asturiano, os contratempos do parceiro são normais diante da fase em que a equipe inglesa atravessa.
 
E falar sobre a comparação entre o seu desempenho e o de Vandoorne, Alonso brincou: "Stoffel sempre vai ficar um pouco atrás, porque é difícil me superar mesmo". 
 
"Sério agora, ele chegou à F1 em um carro difícil de guiar, com todos os problemas que tivemos no ano passado e agora neste também. Mas ele está bem e vai conseguir se aproximar em termos de performance assim que a gente conseguir entender as falhas em seu carro. Não há realmente nada que possamos dizer sobre ele. A questão é que temos de esperar e ver", explicou Fernando em entrevista aos jornalistas, em Hockenheim, acompanhada também pelo GRANDE PRÊMIO.
Fernando Alonso saiu em defesa do companheiro Stoffel Vandoorne (Foto: McLaren)

A diferença entre a dupla tem sido, em média, de três décimos, enquanto Alonso venceu Stoffel em todos os treinos classificatórios. Mas ao longo do fim de semana alemão a distância tem sido maior: 0s8. Ainda assim, o asturiano vê o colega mais forte que outros companheiros de equipe. "Se você pegar os antigos colegas, vai ver que eles estiveram muito atrás que Stoffel. Em 2014, acho que eram seis ou sete décimos de diferença para Kimi. É muito menos que agora."
 
O #14 entende, por fim, que se trata apenas de uma questão de tempo para que a McLaren encontre uma solução para os problemas enfrentados pelo belga.