Alonso comemora abandonos de Button, Vettel e Webber e vibra com “domingo perfeito” em Monza

A sorte voltou a acompanhar Fernando Alonso neste domingo (9). Em Monza, o espanhol largou em décimo e fez uma boa prova, mas viu sua situação ficar ainda melhor depois dos problemas enfrentados por seus principais adversários na disputa pelo título

Red Bull procura maior kartista amador do Brasil. Participe

“Foi um domingo perfeito para nós”, disse Fernando Alonso, décimo colocado no grid de largada, terceiro colocado no GP da Itália. Líder do Mundial, o bicampeão esteve perto de ver quatro de seus adversários na luta pelo título completando a corrida deste domingo (9), mas acabou foi subindo ao pódio em meio a revezes dos outros.

Alonso certamente brigaria pela pole-position com Lewis Hamilton na sessão de classificação em Monza, no sábado, porém, um problema na suspensão que o privou disso. Aí, como o próprio admitiu, não deu para pensar em vencer e, “se você não pode vencer, o pódio é a próxima meta”.

Alonso fez festa pelo pódio que conquistou no GP da Itália (Foto: Ferrari)

Além disso, o espanhol voltou a ter a sorte que acompanha os campeões jogando do seu lado. “Jenson ficou fora da corrida, assim como as duas Red Bull”, disse, antes de voltar a exaltar o dia que viveu em Monza: “O domingo perfeito”.

A diferença entre ele e o vice-líder, que agora é o vencedor de Monza, e não mais Sebastian Vettel, cresceu. São 37 pontos, o que significa que ele continuará líder depois do GP de Cingapura, daqui a duas semanas.

Não podia ficar de lado na entrevista de Alonso a disputa de posição entre ele e Vettel, que resultou em uma controversa punição para o alemão.

O ferrarista ironizou a comparação que foi feita entre o que aconteceu neste domingo com um incidente semelhante que ocorreu na prova de 2011, no mesmo ponto e com os mesmos envolvidos, só que com a Ferrari jogando a Red Bull para fora da pista: “No ano passado, não houve punição, mas, neste ano, houve. Então teve uma diferença muito grande entre os incidentes na visão das pessoas que julgam”.

“Com certeza o carro ficou danificado, porque eu estava pulando sobre a brita a 330 km/h. Eu não acho que o assoalho ficou bem depois daqueles pulos”, acrescentou o asturiano.

Em Cingapura, palco da próxima etapa do Mundial de F1, Alonso já venceu em duas oportunidades. Em 2008, de Renault, na primeira edição da prova, e em 2010, quando já defendia a Ferrari.

► As imagens deste domingo da F1 na Itália
► Confira a classificação do campeonato depois do GP da Itália

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube