Alonso destaca força da Red Bull nas classificações, mas reitera confiança em chances de título

“A minha situação é boa, é a segunda melhor situação para um piloto”, disse o vice-líder do campeonato. Fernando Alonso deixou de pontuar apenas em duas ocasiões, quando esteve envolvido em acidentes na largada. Para evitá-los, é preciso largar mais à frente, afirmou

Pela primeira vez desde o GP da Europa, oitava etapa do Mundial de F1, Fernando Alonso chega a uma corrida sem estar na liderança do campeonato. Nada que, nas palavras do próprio piloto da Ferrari, o deixe abalado. Apesar da desvantagem de seis pontos para Sebastian Vettel, o novo líder, Alonso segue confiante de que disputará o título até o fim. O primeiro passo é conquistar um bom resultado no GP da Índia, que acontece neste fim de semana, em Nova Délhi.

O espanhol voltou a mencionar as dificuldades com relação ao carro enfrentadas por ele e sua equipe ao longo de todo o ano de 2012. Também citou a força apresentada pela Red Bull e por Vettel nas últimas corridas, principalmente nas sessões de classificação. Por outro lado, citou a motivação e o empenho de toda a Ferrari em buscar a taça, que não chega a Maranello desde 2007, ano em que Kimi Räikkönen foi campeão.

Fernando Alonso chega ao circuito de Buddh, na Índia. Pela primeira vez em meses, sem liderar o Mundial (Foto: Ferrari)

“Com quatro corridas para o fim, nós temos quase os mesmos pontos de Vettel e todas as possibilidades abertas no campeonato. É a situação que queríamos, estamos lutando pelo campeonato até o fim”, declarou Alonso, nesta quinta, no circuito de Buddh.

Alonso não quer mais terminar corridas fora da zona de pontuação. O piloto crê que a consistência, que foi chave até aqui no campeonato, continuará sendo chave na reta final, principalmente diante da superioridade da Red Bull. “No momento, temos visto que a Red Bull talvez tenha um carro mais rápido, especialmente aos sábados. Eles vão tentar tirar o máximo deste ponto forte e nós vamos tentar usar os nossos pontos fortes”, afirmou.

“Estávamos liderando o campeonato até a Coreia graças à nossa consistência, e evitando cometer erros. Produzimos dezesseis corridas perfeitas e agora precisamos de mais quatro e, se fizermos isso, estaremos muito perto de vencer o campeonato”, falou o bicampeão, que deixou de pontuar em apenas duas provas em 2012: nos GPs da Bélgica e do Japão. Nas duas ocasiões, deixou a corrida ainda na primeira curva.

Não há uma receita para escapar desses acidentes, mas há como diminuir as chances de se envolver em uma confusão. “Tudo depende da posição de largada. Se você larga da pole, escapa de 99% das batidas, então precisamos melhorar nosso ritmo aos sábados e largar na frente para evitar esses incidentes”, destacou o piloto. Ele se disse vítima de ambos os problemas em que acabou envolvido.

Para o espanhol, obter um resultado positivo após o desfecho do campeonato “é uma questão de forçar tudo até o limite”. Alonso enumerou: “O desenvolvimento do carro, a estratégia e a aproximação a cada fim de semana. O que não é diferente do que temos feito durante o ano todo”, exaltou.

Alonso vem de um pódio – terceiro lugar – no GP da Coreia, disputado em Yeongam, há duas semanas. Seu principal adversário, Sebastian Vettel, emplacou três vitórias consecutivas e, com isso, conseguiu descontar uma diferença que era de 39 pontos a favor do ferrarista.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube