Alonso diz que Ferrari precisa pressionar Red Bull para pontuar caso adversária tenha problemas

Fernando Alonso afirmou que, devido à fragilidade da Red Bull, a Ferrari pode se aproveitar de alguma quebra da rival para ficar com o título. No entanto, para isso, o time italiano precisa estar na briga pela vitória

Com 13 pontos de desvantagem para Sebastian Vettel, Fernando Alonso já tem na ponta da língua o que precisa fazer para conquistar o título da temporada 2012 da F1. Em entrevista nesta quinta-feira (1º), em Abu Dhabi, o piloto da Ferrari afirmou que tem que estar o mais próximo possível do adversário para contabilizar qualquer problema mecânico que a Red Bull possa ter.

“Falhas mecânicas podem acontecer sempre. Não só para eles, mas para todos nós. Sabemos que precisamos nos concentrar no nosso carro, na nossa habilidade e nos certificarmos de termos um bom equipamento para terminarmos as três corridas que faltam sem problemas. Se tivermos algum, será difícil lutar pelo campeonato”, declarou o espanhol ao dizer que a Ferrari não pode dar chance ao azar.

Apesar disso, o bicampeão lembrou que é a equipe austríaca quem mais tem sofrido com as quebras. “Nós sabemos que a Red Bull é um pouco mais frágil. Vimos isso na última corrida, com Mark Webber ficando sem o Kers. Então precisamos pressioná-los. Nós também precisamos estar no limite porque eles estão tendo corridas fáceis”, disse.

Fernando Alonso afirmou que a Ferrari precisa tirar a diferença para a Red Bull (Foto: Shell/Getty Images)

Alonso também reconheceu que nada adianta Vettel ter uma falha mecânica se a Ferrari não puder contabilizar a vantagem. “Se o Kers falhar no carro de Vettel, ninguém vai notar porque ele está 10s na frente. Então não podemos ir para mais uma corrida e permitir que ele abra tudo isso. Precisamos estar lá”, acrescentou.

Para tentar dar a volta por cima, a Ferrari terá algumas atualizações disponíveis para o GP de Abu Dhabi, marcado para este fim de semana. Apesar disso, o piloto espanhol afirmou que não há mágica na F1, e por isso será difícil alcançar a Red Bull já na Marina de Yas.

“Há algumas atualizações vindo, as quais teremos que checar amanhã. Mas não achamos que será possível tirar toda a diferença da Índia em cinco dias, e, em Abu Dhabi, estaremos competindo com eles no mesmo nível. Acho que não há um botão mágico na F1”, disse.

“Vamos tentar nos aproximar para pressioná-los um pouco mais. Nós queremos estar o mais perto possível para aproveitarmos qualquer oportunidade onde as coisas não deem certo para eles. Então precisamos alcançar a perfeição neste fim de semana, e nos três próximos”, completou o piloto.

Alonso, por fim, negou que tenha passado por um acesso de fúria durante o GP da Índia. De acordo com a imprensa italiana, o piloto não ficou nada satisfeito quando viu o fraco rendimento da Ferrari ante à Red Bull. No entanto, o bicampeão negou que isso tenha acontecido e afirmou que vai conversar com o jornalista responsável para saber por que ele inventou essa história.

“Essa foi uma invenção muito boa da imprensa italiana. Foi bastante criativa, para falar a verdade, mas essa é toda a história. Em algum momento, vou falar com o jornalista para entender toda essa imaginação”, disse.

“Eu não acho que alguma coisa seja frustrante. Nós sabemos, e isso é um fato, que estamos mais lentos que a Red Bull. E todo mundo concorda com isso. Eu mesmo, a equipe, os torcedores, todo mundo. Nós estamos trabalhando muito duro para melhorar essa situação”, completou o espanhol, afirmando que não teria motivo para ficar nervoso, já que a desvantagem da Ferrari é amplamente conhecida.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube