Alonso diz que Honda mudou “da noite para o dia” na comparação com 2015 e reitera confiança no projeto da McLaren

Fernando Alonso fez uma avaliação positiva da evolução da Honda em 2016 e disse que as mudanças promovidas pela fabricante mudaram a forma de trabalho da noite para o dia na comparação ao ano passado. O espanhol também se disse consciente da atual situação de pouca competitividade da McLaren, mas reiterou que crê na volta por cima

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Fernando Alonso reconheceu que a forma que a Honda encarou 2016 mudou a forma de trabalho do "dia para noite" na comparação com o ano passado, quando a fabricante sofreu para encontrar confiabilidade e potência em suas unidades de energia.

 
Depois de um retorno complicado em 2015 na reedição da parceria com a McLaren na F1, a montadora japonesa decidiu promover uma reestruturação técnica, substituindo Yasuhisa Arai por Yusuke Hasegawa na chefia de competição. A mudança surtiu efeito, e a equipe vem apresentando sólida evolução e somando pontos regularmente. Daí a observação positiva do espanhol.
 
"As mudanças feitas pela Honda foram enormes com a nova organização", disse o piloto em entrevista ao site norte-americano 'Motorsport.com'. "Tenho certeza que o conhecimento adquirido neste primeiro ano e todas as dificuldades foram levados muito a sério. É uma espécie de orgulho para o Japão, todos estão totalmente empenhados", completou o bicampeão.
Alonso reiterou confiança no projeto da McLaren (Foto: Getty Images)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
"Todo mundo saiu ferido no ano passado. Eles mudaram quase tudo. Eles entenderam tudo muito rapidamente. Mesmo a comunicação entre a McLaren e a Honda, a ligação entre a cultura japonesa e inglesa, é tudo como noite e dia na comparação com o ano passado", explicou Alonso.

 
O asturiano admitiu ainda que esperava mais da Honda neste ano, mas que o esforço demonstrado pela fabricante é encorajador. "Eu ainda esperava mais do que estamos vendo neste ano", disse. "Em termos de trabalho, em termos de performance ou estratégia de corrida, eles são competitivos, são guerreiros, na vida também. Quando nos tornarmos ainda melhores, vamos ver mais de suas atitudes", acrescentou.
 
Fernando acredita ainda que é uma questão de tempo para a Honda se equiparar às concorrentes e que, quando isso finalmente acontecer, a McLaren também será capaz de construir um carro vencedor. "O grupo técnico que temos na McLaren agora, os designers, a estrutura, a organização, todo mundo é muito profissional. A equipe possui um equilíbrio correto, todo mundo está seguindo na mesma direção. Todo mundo trouxe a experiência de outras equipes, trouxeram ideias novas. Todos têm talento. É uma equipe internacional, temos pessoas de todos os lugares."
 
Alonso também se disse ciente do estágio de competitividade da McLaren, mas segue crendo que a equipe e a fabricante têm total capacidade para evoluir ainda mais. "Trabalho agora com uma equipe que será capaz de entregar grandes resultados. Neste momento, nós não somos competitivos, estamos conscientes disso. Estamos completamente cientes de nossa situação. O nosso projeto começou provavelmente um ano mais tarde. Se tivéssemos começado em 2014, como os demais, este motor de agora teria sido o do ano passado. E aí, se estivéssemos andando em 1min16s na Alemanha, poderíamos ter disputado a pole", declarou.
 
"Estamos um ano atrasados, mas estamos aprendendo muito rapidamente. Entendemos a nossa posição, precisamos trabalhar muito ainda, mas, em termos de equipe, a McLaren é a mais organizada e eficiente", encerrou.

A fabricante nipônica ainda pretende usar o restante de suas fichas de desenvolvimento para promover melhorias no motor até o fim da temporada 2016.

PADDOCK GP #42 RECEBE LUCAS DI GRASSI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube