Alonso diz que McLaren deveria estar “no top-5 ou 6” para aproveitar mudanças de regulamento de 2017

Fernando Alonso acredita que, para aproveitar a “chance de ouro” que foi a mudança de regulamento da F1, a McLaren deveria lutar para ser uma das cinco ou seis melhores equipes do grid. O espanhol enfrenta problemas com a McLaren

 
Não é novidade para ninguém que a McLaren vai ter um começo de ano difícil. A equipe teve uma pré-temporada problemática, marcada pelas várias quebras do motor Honda. É uma decepção para um Fernando Alonso que pensava em dar voos mais altos em 2017: o espanhol acredita que o mínimo que a equipe deveria conseguir era ficar entre as cinco ou seis melhores do grid.
 
“Todo mundo está trabalhando dia e noite para melhorar a situação, trouxemos peças novas para o carro. Mas tivemos mudanças no regulamento, é uma chance de ouro para alcançar a Mercedes, e esse também é o terceiro ano no projeto do motor. Então precisamos estar muito melhor do que isso”, disse Alonso, após os treinos livres em Melbourne.
 
“Ano passado estávamos lutando pelo Q3 com certa regularidade. 50% das vezes nós conseguíamos [ir ao Q3], 50% das vezes ficávamos perto. Então não ficar no top-5 ou top-6 [entre Construtores] não é uma reação, de forma alguma”, lamentou.
Fernando Alonso (Foto: AFP)
A McLaren não andou tão mal nos treinos livres do GP da Austrália, mas também não deixou ninguém boquiaberto. Alonso foi 12º no TL2, por exemplo. Para o bicampeão, é uma prova de que os problemas da equipe foram “exagerados”.
 
“Tivemos uma pré-temporada muito fraca, com pouca quilometragem. Então ainda falta extrair muita coisa do carro. Mas depois dos testes em Barcelona os problemas começaram a ser exagerados, principalmente por quem vê de fora”, apontou.

GRANDE PRÊMIO transmite todas as atividades do GP da Austrália de F1 neste fim de semana. Acompanhe tudo AO VIVO e em TEMPO REAL, com a estreia do livetiming.

PADDOCK GP #70 FAZ PRÉVIA DE ABERTURA DAS TEMPORADAS DE F1 E MOTOGP E LEMBRA PACE

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube