F1

Alonso exalta “luta bonita” com Hamilton e comemora “super-reação e grande fim de semana” no México

Fernando Alonso apareceu com a briga mais divertida do GP do México deste domingo (29). Na disputa pelo nono lugar com Lewis Hamilton, que tentava a última ultrapassagem antes de ser tetracampeão, deu um pequeno show. Apesar de todas as punições, Alonso foi aos pontos. O que mais poderia pedir?
Warm Up, do Hermanos Rodríguez / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
 Fernando Alonso (Foto: McLaren)

Fernando Alonso jurava ser extremamente improvável pontuar no México, apesar de ter o que considerava o melhor carro do grid, por conta das punições. Mas, no GP do México deste domingo (29), o bicampeão mundial contou com uma largada conturbada para pular para a zona de pontuação. Depois, uma disputa com Lewis Hamilton no final colocou Alonso nos holofotes. Foi um décimo lugar muito bem vendido, no fim das contas.

Alonso gostou da disputa com Hamilton. Apesar de não mostrar grande emoção só por se encontrar com Mercedes e Ferrari na pista, Fernando sentiu que conseguiu de fato dar uma briga complicada a Hamilton.
 
"A verdade é que foi bonito ter uma luta com Lewis no fim da corrida. É uma pena que nos falte potência na reta, porque acredito que a corrida teria sido diferente", disse. "Ficamos atrás da Sauber até a metade da corrida e atrás de Magnussen na segunda metade. Quando os demais têm a asa móvel para usar, somos vulneráveis. Isso aconteceu com Lewis. Tentamos o possível para sair dos últimos lugares aos pontos. Súper remontada, grande fim de semana", falou.
 
"Não quando têm carro diferente [se gosta de duelar com Vettel e Hamilton]. Quando você tem um carro a 30 ou 40 km/h mais lento nas retas e não te passam, dá gosto", seguiu.
 
Avaliando a corrida, Alonso acredita que a McLaren até deu uma sorte aqui e ali, mas o rendimento foi forte. E a colocação poderia até ser melhor, sempre com alfinetadas na Honda.
Fernando Alonso (Foto: McLaren)
"A primeira volta e os abandonos da Renault nos ajudaram. Também houve coisas que nos favoreceram e aproveitamos com oportunismo. Um ponto - é uma pena que não foram três. Tentaremos de novo no Brasi. Acredito que o carro cresceu muito, inclusive batalhando com uma Mercedes. Somos bastante competitivos até contra os melhores carros nas curvas, e isso é boa notícia", avaliou.
 
No Brasil? A McLaren fará a mesma coisa: um grande laboratório para a temporada que vem. "Vamos usar como essa corrida: meio que um teste, fazendo coisas diferentes. A prioridade é coletar informação para 2018 e seguiremos nessa linha", encerrou.

A F1 volta em duas semanas, no fim de semana dos dias 10, 11 e 12 de novembro, com o GP do Brasil. Em 2016, foi Hamilton quem venceu em Interlagos. O GRANDE PRÊMIO faz grande cobertura 'in loco' e acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL.
VIGIAR E PUNIR

COM GALID OSMAN, PADDOCK GP #101 QUESTIONA: VERSTAPPEN MERECEU PUNIÇÃO EM AUSTIN?