Alonso mal foi à Austrália e ainda é dúvida na Malásia. Mas já tem um prejuízo quando voltar‏ à McLaren

Mesmo sem liberação médica para correr em Melbourne, o final de semana de Fernando Alonso teve seus prejuízos. Além da fraqueza da McLaren, viu Kevin Magnussen explodir um de seus motores antes mesmo da corrida começar. Assim, o espanhol só terá três para o resto do ano.

A segunda passagem de Fernando Alonso pela McLaren poderia ter começado melhor. Além de sofrer um misterioso acidente que o tirou da primeira etapa do campeonato na Austrália e ainda lhe coloca em dúvida para o GP da Malásia e ver que seu MP4-30 é um dos piores carros do grid, sua volta às pistas já vai lhe garantir um prejuízo no campeonato.

Um dos seus quatro motores a que tem direito por regulamento ficou inutilizado logo antes de sua primeira prova. 
 

Kevin Magnussen, substituto do espanhol, não evitou uma explosão na unidade de força na etapa deste domingo (15). Quando saiu dos boxes para tomar sua posição no grid de largada, seu Honda parou de funcionar e começou a soltar fumaça.
Kevin Magnussen vê o motor Honda estourar ao sair dos pits em Melbourne (Foto: Reprodução TV)

O incidente aconteceu apesar da cautela da Honda em Melbourne. Temendo incidentes com suas unidades de força, a montadora teve uma abordagem conservadora quanto ao mapeamento do motor. A potência do motor térmico e do ERS foram reduzidas por causa das altas temperaturas da cidade australiana.

O desempenho da McLaren foi tão ruim na classificação que pela primeira vez na história ocupou as duas últimas posições no grid de largada. Jenson Button até conseguiu levar o carro até o fim da prova, mas chegou em último.


O prejuízo para Alonso é grande: só vai contar, assim, com três motores para as próximas 18 etapas da F1. No caso de exceder a cota, o espanhol vai passar a perder posições no grid de largada. Não está nada fácil ser Alonso neste começo de ano.
POUCOS CARROS
E MUITA HISTÓRIA

Arnold Schwarzenegger junto de Lewis Hamilton no pódio em Melbourne (Foto: Reprodução)Lewis Hamilton obteve neste domingo na Austrália uma de suas vitórias mais tranquilas na carreira. Uma vez que contornou a primeira curva na frente, não sofreu qualquer pressão de Nico Rosberg. As Mercedes chegaram longe de Sebastian Vettel e Felipe Massa, terceiro e quarto, respectivamente. E Felipe Nasr ficou com um quinto lugar, pontuando na estreia na F1.

CORUJÃO DA F1

A nova transmissão comandada por Galvão Bueno que vai tentar aproximar o público das pessoas que levam a F1 à TV precisa de algumas coisas antes de ser continuada. Há que ser divulgada pela emissora. Depois, precisa tornar mais enxuto o número de convidados e oferecer uma razão de ser aos presentes no estúdio. Especialmente tem que dar prioridade sempre às notícias sobre F1. Apesar de uma primeira experiência desconfortável, a ideia pode ser amadurecida e tem potencial para dar bons frutos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube