Alonso reafirma desejo de correr no WEC no futuro, mas esclarece: tricampeonato da F1 é prioridade

Fernando Alonso fala abertamente que seu futuro após a F1 é o WEC. Mas o futuro, garantiu o espanhol, ele não sabe se é em dois anos ou em 11. Por enquanto, a prioridade ainda é parar de ser chamado de bicampeão mundial de F1 e passar a receber a alcunha de tricampeão mundial de F1

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Sim, Fernando Alonso quer ir para o WEC algum dia, quando deixar a F1. Mas, segundo o bicampeão mundial, isso não significa que ele vá sair de cena quando seu contrato com a McLaren Honda acabar, daqui um ano, no final da temporada 2017 – isso, ele deixou claro, se define no primeiro semestre do ano que vem. O tricampeonato mundial vem antes disso.

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
O esclarecimento de Alonso foi feito por conta das questões que surgiram após o espanhol dizer para Mark Webber, campeão mundial do WEC pela Porsche e agora aposentado, que ia "perguntar muita coisa quando for para a sua aventura". O piloto da McLaren deu uma acalmada geral.

 
"A primeira coisa que eu quero fazer é ganhar o terceiro título mundial na F1", garantiu Alonso, que se tornou bicampeão há dez anos, em 2006.
 
"Estou 100% comprometido com o próximo ano na equipe. No futuro, sim, correr as 24 Horas de Le Mans é um desafio muito atraente, porque eu gosto da categoria e dos carros. Mas esse futuro eu não sei se é em dois anos ou cinco ou 11", afirmou.
 
Apesar dos títulos em 2005 e 2006, Alonso não avalia estes anos de uma Renault vencedora como seus melhores na F1 em termos de pilotagem. Inclusive, Fernando coloca este 2016 pela McLaren acima daqueles momentos de glória.
Quem vai continuar na F1? (Foto: Reprodução)
"2012 foi provavelmente o meu melhor ano na F1. Depois 2014 pode ser o segundo, e esse vem em seguida no lugar mais baixo do pódio, porque eu estive o ano todo muito confiante com o carro em todas as condições climáticas. Mesmo durante as últimas dez voltas no Brasil eu me sentia competitivo com pneus de 40 voltas e coisas assim", seguiu.
 
"Isso me deu a oportunidade de guiar no limite em tantas ocasiões, e Jenson é um piloto incrível. Ano passado eu notei isso e experienciei, e neste ano consegui andar na frente dele muitas vezes. Estou feliz com tudo o que fizemos e o progresso do time, um gosto totalmente diferente do GP de Abu Dhabi do que aquele que tivemos 12 meses atrás. Ali, estávamos decepcionados, tristes e muitas coisas passavam por nossa cabeça", relembrou.
Fernando Alonso (Foto: McLaren)
E ainda afirmou que o clima na McLaren hoje é feliz, num gigante contraste com 2015. "Neste 2016 tudo é carregado de otimismo e prazer. Sabemos que ainda há um longo caminho a percorrer para que nos tornemos campeões mundiais, mas o sentimento é muito mais alegre que no ano anterior", encerrou.

Acompanhe toda a cobertura da decisão da F1 entre Hamilton e Rosberg no GRANDE PRÊMIO. Só aqui você segue treinos, classificação em corrida em TEMPO REAL.

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube