Alonso se irrita e diz que sugestões de que causou batida com Räikkönen na Áustria só podem vir de “doentes”

Fernando Alonso está cansado do assunto batida com Kimi Räikkönen. O espanhol não se conforma que 15 dias depois do acidente pelo com o antigo companheiro de Ferrari ainda haja especulações de que foi ele quem tocou o carro vermelho

Fernando Alonso se irritou nesta quinta-feira (2) respondendo sobre a batida da primeira volta que o tirou do GP da Áustria duas semanas atrás. Já em Silverstone para o GP da Inglaterra, Alonso disse que só estando "doente" alguém ainda pode achar que ele tocou o carro de Kimi Räikkönen antes da forte batida.
 
O bicampeão mundial lembrou que logo após a corrida em Spielberg, Kimi disse que perdeu o controle do carro mas que não entendia o motivo e não tinha sido a mesmo coisa que no Canadá. Mas destacou que viu vídeos da batida e estava notoriamente atrás de Räikkönen.
O acidente de Räikkönen com Alonso na Áustria (Foto: Reprodução TV)
"Eu estava dez metros atrás dele. Em alguns vídeos que eu vi, estou claramente atrás dele. Depois da corrida, Kimi disse que perdeu o carro e mesmo assim, 15 dias depois, estamos aqui falando da mesma coisa. É porque estão doentes, porque senão, não entendo", disse.
 
Por causa da batida de Räikkönen, que quase terminou com a McLaren de Alonso acertando a cabeça e as mãos do finlandês, o espanhol vai precisar usar seu velho motor, porque a unidade de força instalada na Áustria foi danificada.
 
"O motor é o mais duro de tudo, porque obviamente colocamos um novo motor e pegamos punição na Áustria, e então perdemos o motor e o câmbio no acidente", concluiu Fernando.
 
Alonso não vê a bandeira quadriculada a quatro corridas e ainda não tem sequer um ponto no Mundial de F1 em 2015.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube