Alonso se vê como “melhor piloto do mundo”, mas diz que é “difícil demonstrar isso na F1”

De volta à F1 para os testes coletivos do Bahrein, Fernando Alonso comentou sobre o desafio de vencer a Tríplice Coroa, e que ainda se sente como o melhor piloto do mundo. E ainda descartou a possibilidade de se aposentar enquanto não encontrar um piloto mais rápido do que ele utilizando o mesmo carro

Fernando Alonso retornou ao cockpit de um F1 nesta semana. Após deixar o posto de piloto titular da categoria ao final do ano passado, o  bicampeão do mundo participou dos testes coletivos, realizados no Bahrein. O espanhol assumiu o carro da McLaren como parte do programa de pneus da Pirelli.

Ainda se dedicando ao WEC e se preparando para competir na Indy 500, que acontece em maio, o piloto de 37 anos afirmou que ainda acredita que é o melhor piloto do mundo, inclusive citando que a temporada de 2018, pela McLaren, foi a mais forte de sua carreira, já que superou o companheiro de equipe Stoffel Vandoorne em todas as sessões de classificação.

"Eu acho que sou. Acho que todo mundo pensa que é o melhor, mas é difícil de provar, especialmente na Fórmula 1. Ou você está com o pacote certo na temporada, ou não pode provar", disse Alonso ao site 'RaceFans'. "Eu fui competitivo por muitos anos na F1, sortudo o bastante pra vencer campeonatos. Até a minha última temporada foi provavelmente a minha mais forte, com 21-0 na classificação sobre o meu companheiro de equipe, coisa que nunca fiz na minha carreira", citou.
Fernando Alonso (Foto: Twitter)

Alonso sempre deixou claro o objetivo de conquistar a 'Tríplice Coroa' do automobilismo, formada por vitorias no GP de Mônaco, 24h de LeMans e Indy 500. Apesar da meta, o espanhol contou que não tem vontade de se aposentar das pistas enquanto não ver outro piloto mais rápido que ele com o mesmo equipamento.

 
"Agora, vencendo as 24 Horas de LeMans, Daytona, Sebring, esperando ser competitivo na Indy 500, e outras coisas que posso fazer fora do asfalto, é algo que provavelmente não tem precedência no esporte. Estou procurando por desafios", declarou. "Enquanto eu tiver forças pra fazer e me sentir competitivo, eu vou continuar. Talvez um dia eu entre em um F1 e tem um cara com o mesmo carro que é mais rápido que eu. Ou ,eu entro em outro carro e um cara é mais rápido que eu com o mesmo carro. Até onde sei, isso nunca aconteceu, então vou continuar pilotando", concluiu.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube