F1

Alonso valoriza “fase excepcional” na F1, mas vê “oportunidades mais atraentes fora dela”

Fernando Alonso voltou a dizer que não vê mais motivação para correr na F1 e explicou que tem opções melhores em busca de novos feitos. O espanhol também deixou claro que o Rali Dakar não é uma opção para 2020

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Fernando Alonso parece cada vez mais distante da F1. Apesar de seguir rondando a categoria e ter dito que pensaria em voltar caso a McLaren se tornasse um time vencedor, o espanhol garantiu que não vê mais no campeonato a motivação necessária. Alonso, mais uma vez, explicou que a felicidade parece estar em outras categorias.
 
O asturiano comentou que a infelicidade com a F1 não vem de agora e falou abertamente dos feitos que pretende conquistar por outras categorias. Alonso, desde que começou o processo para deixar o Mundial, fez Indy 500 e Le Mans, vencendo a prova de longa duração;
 
"Nos últimos anos, pessoalmente falando, a F1 não foi atraente o suficiente para mim. Foi uma fase excepcional, mas hoje em dia não encontro na F1 os feitos que posso conquistar fora dela. Já falei várias vezes nos últimos meses que decidi deixar a F1 pelas motivações que eu tenho, pelos feitos que quero conquistar fora dela e que ela não pode me oferecer. Acho que outras oportunidades mais atraentes estão fora dela", disse.
Fernando Alonso não quer mais saber de F1 (Foto: Indy)
O espanhol garantiu que não tem interesse em ficar esperando um convite para voltar e explicou que já sabe o que fará nos próximos tempos, apenas não revelou ainda.
 
"Tenho uma ideia clara do que farei. Não vou deixar as portas abertas nem espero que me chamem, nada disso. Sempre escolhi onde e quando quis correr, eu me mexo seguindo o que me faz feliz. Meu futuro já está na minha cabeça e será revelado em seu devido tempo", comentou.
 
Por fim, Alonso também tratou o Rali Dakar como algo distante, pelo menos por enquanto. O bicampeão da F1 acredita que precisa criar casca em ralis antes de encarar o desafio.
 
"É uma competição atraente, a mais atraente, aliás, mas também é o oposto das minhas qualidades ou da minha maneira de guiar. Nunca pilotei na terra, fazer logo o mais duro do mundo, de repente, seria algo extremo", concluiu.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.