Alonso vê McLaren no rumo certo visando 2017 e elogia: “É a melhor equipe em que já estive na carreira”

Aos 35 anos, Fernando Alonso tem experiência de sobra na F1. Mesmo tendo vivido seu auge com a Renault na década passada e ter ficado perto de ser campeão com a Ferrari, é na McLaren que o espanhol se mostra à vontade. A ponto de considerar o grupo da escudeira britânica o melhor com quem já teve a chance de trabalhar

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Fernando Alonso deixou no passado toda a insatisfação por conta da falta de performance, confiabilidade e resultados no primeiro ano da sua segunda passagem pela McLaren. Em 2016, com a evolução no desempenho do MP4-31 evoluindo gradativamente, o espanhol é só elogios. Aos 35 anos, o bicampeão tem experiência de sobra na F1. Mesmo com passagens muito relevantes pela Renault, onde alcançou seu auge na carreira com os títulos de 2005 e 2006, ou mesmo na Ferrari, por onde esteve entre 2010 e 2014 e teve a chance de lutar pela taça, Alonso deixou claro que, atualmente, a McLaren é seu porto seguro e a melhor equipe em que já esteve em toda a carreira. O piloto vê a equipe britânica como a única capaz de bater a Mercedes em 2017.
 
“Estamos no rumo certo, a equipe é forte, o pessoal técnico que temos… estamos unidos. Há um bom equilíbrio na equipe, no grupo de design. Provavelmente, é a melhor equipe em que já estive na carreira”, declarou o piloto em entrevista ao site norte-americano ‘Motorsport.com’. Alonso já disse, em outra oportunidade, que a decisão de deixar a Ferrari, no fim de 2014, e voltar para a McLaren, foi mais do que correta.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Fernando Alonso está feliz da vida na McLaren (Foto: Getty Images)
No momento, a McLaren ocupa a sétima colocação no Mundial de Construtores e soma 42 pontos, apenas três a menos em relação à Toro Rosso, sexta colocada. Uma posição bem melhor que a obtida no ano passado, quando terminou em nono. O avanço neste ano foi obtido em grande parte pelo desenvolvimento do chassi, enquanto a potência do motor ainda precisa evoluir.
 
“Não somos competitivos porque temos muitos problemas a resolver do ano passado, quando não estávamos prontos para competir neste nível. Tivemos de garantir a confiabilidade, a potência, o manejo e a aerodinâmica, tudo em seu lugar. Tudo teve de mudar muito e encontramos o caminho”, salientou o piloto, mais do que feliz em Woking. “Em termos de equipe, estrutura, organização, é o melhor grupo com quem já trabalhei”, avaliou.
 
Ao ser questionado se 2017 seria mais positivo para a McLaren com a manutenção do regulamento técnico, Alonso discordou e deixou claro que as mudanças que a F1 vai implementar no ano que vem serão fundamentais para dar uma boa mexida na ordem de forças do Mundial.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Se seguíssemos com o mesmo regulamento deste ano, provavelmente não, porque mesmo se tivéssemos a mesma potência da Mercedes, a Mercedes está claramente à frente do resto por sua aerodinâmica como um todo. A mudança dá uma esperança a todos, não somente à McLaren, porque tudo é novo para nós. Vamos passo a passo, e espero que tenhamos um motor competitivo e que as novas normas nos façam ser mais competitivos quanto ao chassi, nos permitindo usar novas ideias e filosofias”, disse.

 
Por fim, Fernando avisou que, como em boa parte das equipes, o foco da McLaren está mesmo todo voltado para 2017. “Para nós, não importa muito a posição neste ano. Estamos focados em ser campeões, e isso requer uma grande melhora para o ano que vem. Estamos fazendo muitos esforços com o carro do ano que vem, de modo que todas as peças que estamos testando são para entender qual rumo seguir no ano que vem. A unidade de potência vai ser o fator chave, o fator que nos limite agora, de modo que temos de ter uma unidade de potência comparável com a dos nossos rivais. A prioridade em nossas mentes é 2017”, concluiu.
PADDOCK GP #43 DEBATE INDY E MOTOGP E FAZ PRÉVIA DA F1

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube