Alonso volta a listar falhas do motor Honda e não alivia: ‘É inaceitável que Vandoorne nem tenha conseguido largar”

Fernando Alonso não está com paciência para o motor Honda. Depois de um GP do Bahrein atrapalhado para a McLaren, com reclamação e abandono do bicampeão, ele saiu em defesa do companheiro de equipe, Stoffel Vandoorne, que sequer largou por conta de um problema na pressão de água. Segundo Alonso, não conseguir largar é simplesmente inaceitável

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Apenas três etapas da temporada 2017 do Mundial de F1 aconteceram, mas o desgaste de todo mundo na McLaren com a Honda já atingiu níveis altíssimos. O GP do Bahrein viu os últimos dois capítulos se desenrolarem: a reclamação de Alonso no rádio, dizendo que se tratava do motor menos potente que guiou na vida, e a nem largada de Stoffel Vandoorne. O novato belga teve problemas na pressão de água quando tentava alinhar o carro no grid e acabou fora do páreo. Inaceitável, segundo Alonso.

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
O bicampeão mundial tomou as dores do jovem companheiro de equipe após a decepção tamanho família vivida no circuito de Sakhir. Fernando não se poupou, como não tem se poupado por boa parte dos últimos três anos desde que chegou à McLaren, e disse que ser lento ou rápido é uma nuance de qualquer motor em qualquer corrida, mas não ser capaz de largar está além do que se dá para compreender.

 
"É impressionante, porque temos trabalhado muito duro e Stoffel trabalha muito duro. Neste fim de semana ele teve azar com trocas no motor e nem correu", lembrou. "Você pode ser rápido ou lento em diferentes corridas, em diferentes circunstâncias, mas não conseguir largar é impressionante", afirmou. "Stoffel não poder largar é inaceitável. Vamos ver o que dá para fazer desde agora até a Rússia – temos que trabalhar melhor do que aqui", seguiu.
Fernando Alonso (Foto: McLaren)
O próprio Vandoorne falou um pouco após a corrida, mas bem pouco. Disse que não deseja a nenhum piloto uma situação como essa e segue amargando um início de temporada quase mórbido. Foi o último colocado entre os 15 pilotos que encerraram a corrida na Austrália, abandonou quando era o último na China e nem largou no Bahrein. Duro para um piloto considerado uma das joias da nova geração – campeão da GP2 de forma tão dominante em 2015.
 
"Não desejo a ninguém uma situação assim. Este fim de semana realmente mostrou como está a situação. É uma pena não conseguir largar para a corrida", seguiu. 
 
A reclamação de Alonso que 'quebrou a internet' no domingo barenita foi após ser ultrapassado na reta dos boxes por Daniil Kvyat, da Toro Rosso, e Jolyon Palmer, da Renault, após contornar a última curva bem à frente. No fim das contas, como aconteceu nas três provas do campeonato, Alonso acabou sendo obrigado a abandonar no fim da corrida. A McLaren segue sem pontos no Mundial de F1 em 2017.
 
A F1 volta em duas semanas, 30 de abril, com o GP da Rússia em Sóchi.

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube