F1

"Ano novo, motor novo": Chefe da Red Bull coloca "regularidade em vários tipos de circuito" como meta

Christian Horner estipulou alguns objetivos para sua Red Bull em 2019: além de diminuir a distância para Ferrari e Mercedes, ele quer que o motor Honda ajuda a equipe a ser mais regular nos variados tipos de pista encarados durante o ano
GRANDE PRÊMIO, de Barcelona / FELIPE NORONHA, de São Paulo / EVELYN GUIMARÃES, do CIRCUITO DA CATALUNHA / ERIC CALDUCH, do CIRCUITO DA CATALUNHA
"Impressionados com a abordagem da Honda e sua evolução", os membros da Red Bull já começam a estipular metas para a F1 2019 relacionadas à força de seu novo motor. Não é para menos: a primeira semana de testes da pré-temporada terminou com a uma boa confiabilidade da unidade de potência japonesa, além de uma alta quilometragem. Ao longo dos quatro dias de atividades, o time austríaco foi capaz de percorrer 475 voltas e com pouquíssimos problemas mecânicos.

Segundo Christian Horner, chefe da equipe, alguns objetivos já estão claros: dentre eles, redução da vantagem das rivais e maior invariabilidade nas pistas encaradas durante a temporada.

"A expectativa é melhorar. Ano novo, regra nova, novo motor, novo piloto... Nossa meta é diminuir essa brecha que nos separa de Mercedes e Ferrari, e render em um nível mais regular em vários tipos de circuito", afirmou Horner, em entrevistas aos jornalistas, incluindo o GRANDE PRÊMIO, na Catalunha.
Max Verstappen (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Ainda de acordo com o dirigente, anteriormente a Red Bull mostrava mais força em pistas em que o carro tinha vantagem de decisão - mais precisamente em circuitos de baixa velocidade e alta pressão aerodinâmica. Agora, o plano é avançar: "Com as mudanças que fizemos, podemos ter uma temporada mais regular em todos os tipos de circuito."

"Terminamos o ano passado em um nível muito bom. Com o novo regulamento, acredito que as coisas estarão mais igualadas. Mas é muito difícil responder agora", seguiu.

Por fim, Horner chamou a Honda de "peça vital no quebra-cabeça" da busca por competitividade: "Não só esse ano, mas no ano seguinte e mais adiante."

"A potência é um fator dominante, mas devo dizer que, com certeza, é a melhor instalação de motor no chassi que já tivemos", completou.

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a pré-temporada da F1 em Barcelona com os repórteres Evelyn Guimarães, Vitor Fazio, Eric Calduch e o fotógrafo Xavi Bonilla. Acompanhe tudo aqui.