Apesar de veto da McLaren, Honda segue se dizendo aberta a fornecer motores para Red Bull em 2016

A Honda está disposta a fornecer motores para mais de uma equipe no próximo ano, ainda que a McLaren já tenha publicamente se posicionado contra o possível acordo com a Red Bull

A McLaren não quer, mas a Honda, sim. Nesta sexta (30), no México, o diretor de automobilismo da Honda foi perguntado a respeito do acordo que se comentou nos últimos dias com a Red Bull para 2016, e não descartou a possibilidade.

Yasuhisa Arai disse que há discussões em andamento, e isso depois de a McLaren demonstrar publicamente ser contra.

Quando anunciou seu retorno à F1 para 2015, a Honda anunciou um acordo de exclusividade para o primeiro ano. Depois, poderia começar a trabalhar com outras marcas. No entanto, a McLaren pode vetar. E, por acreditar que é só tendo exclusividade será possível chegar ao título do Mundial de F1, o time de Woking exerceu este poder.

Yasuhisa Arai é diretor de competições da Honda (Foto: Getty Images)

Arai, ao ser questionado, saiu pela tangente — e não chegou a citar nominalmente a escuderia austríaca:

"Obviamente, não podemos discutir detalhes neste momento. Fomos abordados pela equipe, mas discussões estão em andamento e nada foi decidido. Eu sempre disse nesta temporada: estamos sembre abertos, então estamos em discussões no momento. É isso", disse o japonês.

A Honda fez um motor que ficou bem aquém das expectativas para 2015, deixando os campeões mundiais Jenson Button e Fernando Alonso nas últimas posições do grid. Poder se associar à Red Bull daria aos japoneses o dobro de feedback na busca por desenvolver o V6 turbo. A princípio, o acordo seria 'tampão', até que a Red Bull conseguisse atrair uma nova fabricante para a F1.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube