F1

Apoiado pelo Liberty, Brawn assume como sucessor de Ecclestone no comando da F1, diz revista

De acordo com a publicação alemã ‘Auto Bild’, Ross Brawn já tem um acordo para retornar à F1, agora no comando da categoria. O britânico é apoiado pelo grupo Liberty Media, acionista da categoria, e já foi aceito pela FIA

Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre

Conforme vinha se especulando, Ross Brawn está perto de ser anunciado como novo chefão da F1. De acordo com a revista alemã ‘Auto Bild’ – braço de automobilismo do jornal alemão ‘Bild’ –, o ex-chefe de equipe da Ferrari topou substituir Bernie Ecclestone no comando da categoria.
 
O acordo passa pela aprovação de duas entidades: o grupo Liberty Media, novo acionista majoritário da F1, apontou o nome de Brawn, que depois foi aceito pela FIA de Jean Todt – ex-colega de Ferrari no início dos anos 2000. ‘Abençoado’ pelas duas partes, a publicação aponta que o anúncio é uma questão de tempo.
 
A notícia é condizente com o que Ross Brawn já havia dito anteriormente. O dirigente não quer voltar a fazer parte de uma equipe, mas está disposto a “ajudar a F1 a se tornar uma categoria melhor”.
 
“Fiz tudo o que poderia em um time, eu apenas estaria me repetindo. Com certeza, tentar ajudar a F1 a se tornar uma categoria melhor seria ótimo. Era algo que eu poderia me interessar”, declarou Brawn, em entrevista ao jornal britânico ‘The Telegraph’.
Ross Brawn (Foto: Mercedes)
“Caso me perguntasse o que a F1 precisa, eu diria que é de um plano. Um plano de três anos e um de cinco. Minha visão é que não se existe a estrutura ideal para a criação dessa estratégia e sua apliacação ao longo do tempo”, completou.
 
Ainda não se sabe ao certo qual seria o novo papel de Ecclestone. O que é certo é o interesse do grupo acionista em rever o corpo de dirigentes da categoria, tentando transformar a F1 em um esporte mais atrativo para o público jovem.