F1

Após atuação marcante em duelo contra Verstappen, Räikkönen é eleito pelos fãs como 'Piloto do Dia' do GP da Hungria

A prova de recuperação de Kimi Räikkönen agradou a torcida e o finlandês foi eleito o ‘Piloto do Dia’ no GP da Hungria. Foi a primeira vez que o piloto da Ferrari ganhou a votação
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Kimi durante classificação na Hungria (Foto: Getty Images)
Kimi Räikkönen pode até não ter vencido a disputa com Max Verstappen, mas foi quem mais agradou a torcida no domingo (24). O piloto da Ferrari ganhou a votação popular e foi eleito o ‘Piloto do Dia’ no GP da Hungria.
 
14ª no grid de Hungaroring, Kimi fez uma boa prova de recuperação e travou um intenso duelo com Max Verstappen na parte final da disputa. O piloto da Red Bull acabou vencendo o embate e ficou com o quinto posto, deixando Räikkönen contrariado com a falta de punição ao holandês, a quem acusa de ter defendido a posição de forma irregular.
Räikkönen foi o 'Piloto do Dia' na Hungria (Foto: Getty Images)
Ao longo das 70 voltas em Budapeste, Räikkönen foi o piloto que mais posições ganhou, tendo subido oito posições na tabela. Com 1min23s086, Kimi foi também o autor da melhor volta da disputa no caminho para seu nono top-6 em 2016.
 

“Hoje meu carro estava realmente bom e se comportando bem, tínhamos velocidade, mas, obviamente, este não é o lugar mais fácil para ultrapassar”, disse Räikkönen. “Infelizmente, depois da classificação de ontem, hoje nós não estávamos em uma posição que nos permitia conquistar o resultado que merecíamos, e isso é o mais desapontador”, continuou.
 
“Em relação a batalha com Max, não cabe a mim decidir, mas acho que as manobras dele são questionáveis”, opinou. “Na primeira vez, ele se moveu para a direita e eu ui para a esquerda, mas ele também voltou para lá, então tive de tentar sair daquilo, pois estava batendo forte nele na traseira e perdi minha asa dianteira, o que não facilitou para atacar outra vez”, relatou.
 
“Aí mais tarde, sempre que eu conseguia fazer uma manobra e estava comprometido em algum pouco, ele decidia virar, e, naquele ponto, eu não tinha para onde ir”, reclamou. “Não é meu trabalho determinar se ele estava certo ou não, mas já vi pessoas serem punidas por muito menos. Hoje nós fizemos o nosso máximo, estou desapontado porque não consegui passar Verstappen e ir em busca dos outros”, concluiu.
 
Chefe da Ferrari, Maurizio Arrivabene elogiou a atuação de Räikkönen e avaliou que o finlandês provou que merecia ter seu contrato renovado. Ainda assim, o dirigente atacou a FIA (Federação Internacional de Motociclismo), a quem acusou de “ter sempre uma boa desculpa” para evitar determinadas sanções.

PADDOCK GP #38 VAI A PIRACICABA PARA LANÇAMENTO DA F-INTER