F1

Após chamar comissário de “idiota” e “mongol” por punição nos EUA, Verstappen volta atrás: “Não queria ofender”

Max Verstappen ficou revoltado com o comissário Gerry Connelly, da FIA, após a punição que sofreu no GP dos Estados Unidos. Verstappen ofereceu algumas ofensas ao comissário, mas agora resolveu jurar que não era o que queria dizer
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Max Verstappen após tomar conhecimento da polêmica punição em Austin (Foto: Reprodução)

Max Verstappen saiu do GP dos Estados Unidos muito nervoso com a punição que invalidou sua ultrapassagem para cima de Kimi Räikkönen e custou um lugar no pódio. E depois de sair atirando para todos os lados, o jovem holandês voltou atrás e garantiu que não queria ofender ninguém.
 
O quase pedido de desculpas é direcionado para uma pessoa em especial: o comissário da FIA Gerry Connelly. Verstappen declarou abertamente que se sente prejudicado constantemente pelas decisões de Connelly.  "É um comissário idiota que está sempre tomando decisões contra mim", afirmou após a prova em Austin durante entrevista para a rede de TV inglesa Sky Sports. Depois, falando para a rede de TV holandesa Ziggo Sport, reforçou ao chamar o comissário de "mongol" ainda após a corrida.
 
Ao ver a repercussão negativa causada pelos comentários, voltou atrás e contemporizou o que havia dito anteriormente.
 
"Veja bem, no calor do momento você diz certas coisas, mas claro que eu não queria falar nada ruim. Naquele momento as coisas acabam pipocando da sua boca. Eu não queria ofender ninguém", afirmou. E garantiu que também não sentou junto de Connelly para se desculpar. Nem fará isso.
 
"Não tenho nada que explicar. A imprensa poe debater sobre isso por horas, mas não vai mudar nada", adicionou.
Max Verstappen (Foto: Mark Thompson/Getty Images/Red Bull)
Ainda sugeriu que a FIA considere uma nova abordagem na tomada de decisões especialmente relacionadas à distribuição de punições.
 
"Creio que mais gente quer [uma mudança de sistema]. A decisão não foi correta e é ridículo que não se possa fazer nada contra isso. Vamos falar sobre, mas precisamos ver o que é certo. Não tenho uma resposta clara para isso no momento", seguiu.
 
A F1 volta com o GP do México no próximo do fim de semana.
RITMO DE FESTA

PADDOCK GP CHEGA À EDIÇÃO 100 COM HISTÓRIAS IMPERDÍVEIS DE EDGARD MELLO FILHO