Após estrear na F1 pela Caterham, Ericsson comemora conseguir competir pela Sauber: “Não estou apenas participando”

Marcus Ericsson está extremamente feliz por estar conseguindo, de fato, competir na F1 pela Sauber, algo que não teve a chance de fazer em 2014 pela nanica e agora finada Caterham.

Finalmente Marcus Ericsson está, de fato, na F1. Quem diz é o próprio sueco, que estreou na categoria em 2014, mas pela nanica Caterham. Hoje, pela Sauber, consegue participar da corrida em um cenário maior, conquistando pontos. 
 
Ericsson foi perguntado sobre a maior diferença entre o trabalho na Caterham e na Sauber. A resposta saiu muito rapidamente. "Agora eu tenho um carro competitivo!", exclamou.
 
"É um time maior, mais experiente e você sente isso quando trabalha com as pessoas do time. Claro, como piloto, foi muito difícil estar com a Caterham porque estávamos tão longe do meio do pelotão, então era difícil impressionar", avaliou.
Felipe Massa travou uma dura batalha com Marcus Ericsson no início do GP do Canadá (Foto: AP)
"Esse ano, com a Sauber, estamos em posição de lutar por pontos mais ou menos todas as semanas, então é uma grande diferença. Estamos correndo contra outras pessoas, tentando outras estratégias, roda a roda com pilotos diferentes, o que me ajudou muito a desenvolver e mostrar o que posso fazer", seguiu.
 
Mas nem tudo foi escorraçar a finada Caterham. Marcus destacou que a experiência curta foi muito importante em sua carreira.
 
"Ano passado foi muito bom para mim. Como criança, você sonha com a F1 e suas primeiras corridas são muito especiais. Mas, de uma forma, é a primeira temporada em que estou correndo na F1 mesmo, não apenas participando", encerrou.
 
Ericsson é atualmente o 18º colocado no Mundial de Pilotos com seis pontos conquistados.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube