Após protesto da Racing Point, FIA abre investigação sobre freios da Renault

A FIA aceitou uma reclamação oficial da Racing Point sobre uma ilegalidade dos freios dos dois carros da Renault. Desta forma, o órgão irá investigar os carros de Daniel Ricciardo e Nico Hülkenberg nos próximos dias para saber se o protesto é correto ou não. A Racing Point chegou preparada, porém: tinha em mãos um relatório de 12 páginas

O GP do Japão de Fórmula 1 começou neste domingo (13), mas ainda verá um desenrolar pelos próximos dias. O motivo é uma reclamação feita pela Racing Point após o fim da prova de que a Renault utilizou um sistema ilegal de freios. Os comissários aceitaram a reclamação e, desta forma, haverá uma investigação nos próximos dias. O time inglês apresentou um protesto desenvolvido num relatório de 12 páginas.
 
A reclamação feita pela Racing Point afirma que a Renault conta com um "sistema de freio pré-definido de ajuste de tendência baseado na distância das voltas" nos dois carros. Algo como um sistema de freios com ajuste automático.
 
Com a aceitação da reclamação, a FIA confiscou o sistema de direção e o controle de unidade eletrônica, chamado de cérebro do carro na F1 atual, da Renault. As partes serão investigadas nos próximos dias.
 
"Recebemos um protesto da Racing Point contra a Renault no que diz respeito ao sistema de freio nos carros #3 e #27. Os comissários convocaram e ouviram os representantes das duas equipes e um membro do Departamento Técnico da FIA. Os comissários determinaram que o protesto se encaixa nas exigências legais do Artigo 13 do Código Esportivo Internacional e é, desta maneira, admissível", disse o comunicado divulgado pelos comissários Gerd Ennser, Dennis Dean, Tom Kristensen e Yasuhiro Yodono.
Lance Stroll (Foto: Racing Point)
"Os representantes do Departamento Técnico da FIA selaram e confiscaram o controle de unidade eletrônica padrão e os sistemas de direção dos carros #3 e #27 em preparação para conduzir uma análise detalhada de todo hardware, software e informações ligadas às partes. Quando estiver completo, divulgaremos um documento por escrito sobre o que os comissários encontraram", seguiu o comunicado.
 
Embora a Racing Point não tenha se manifestado publicamente, a Renault soltou um comunicado pouco depois da decisão dos comissários.
 
"A Renault reconhece o protesto feito pela Racing Point, com relação ao sistema de freio, após o GP do Japão. Representantes da equipe se encontraram com os comissários em Suzuka, mas pela complexidade do dossiê de 12 páginas preparado pela Racing Point, um novo encontro será realizado em data futura, ainda a ser definida. A Renault pretende utilizar esse recesso [até o GP do México] para preparar um caso igualmente detalhado e defender rigorosamente sua posição", prometeu.
 
Renault e Racing Point são rivais nos Mundial de Construtores: o time francês tem 77 pontos e ocupa o quinto lugar, enquanto os ingleses têm 54 tentos e o sétimo lugar. Entre as duas está a Toro Rosso.
 

Paddockast #37
GRANDES RIVALIDADES INTERNAS 

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube