F1

Após reunião de emergência na Austrália, F1 rejeita novo treino classificatório e volta ao formato antigo já no Bahrein

Foi uma experiência para nunca mais: o formato 'dança da cadeira' do treino classificatório que previa o caos transformou-se em desastre sem ter o efeito pretendido em Melbourne. Em um encontro na manhã de domingo na cidade australiana, sacramentou-se o fim do sistema e o retorno do treino anterior

Warm Up / VICTOR MARTINS, de São Paulo
Durou um miserável dia e uma única experiência, o novo treino classificatório da F1, que vai entrar para a história como um dos maiores micos produzidos pela categoria. Reunidos na Austrália na manhã deste domingo (20) — ainda noite de sábado no horário brasileiro —, os dirigentes e as equipes resolveram abolir com o formato 'dança da cadeira', com um tempo X inicial e depois eliminação a cada 90 s.

O sistema que vinha sendo empregado até então, com as três fases e eliminação sumária dos piores, volta a ser aplicado na próxima etapa, o GP do Bahrein.

Se parecia interessante no Q1, quando os nomes iam caindo aos poucos e gerando emoção, já a partir do Q2 a fórmula demonstrou que não era cabível. No Q3, então, o tal mata-mata sequer foi cogitado, já que Lewis Hamilton havia feito um tempo suficiente para a pole e os demais se contentaram com o que tinham.
Lewis Hamilton e Nico Rosberg durante a classificação para o GP da Austrália (Foto: Getty Images)
A F1, que é tão dispersa em suas opiniões, conseguiu unânime rejeição ao sistema. Incomodados com a falta de ação na pista, visto que os pilotos optaram por poupar carros para a corrida, Christian Horner, chefe de equipe da Red Bull, Toto Wolff e Niki Lauda, principais dirigentes da Mercedes, detonaram o novo formato. Em entrevista coletiva, Horner foi além e disse que a F1 precisa pedir desculpas aos fãs da categoria.

“Antes de tudo, devemos pedir desculpas. As intenções foram boas, mas deu tudo errado. Precisamos resolver isso imediatamente. O que vimos hoje não foi bom para a F1.”, bradou o britânico, que foi endossado por um irritado Toto Wolff, diretor-esportivo da Mercedes.

“Sou o primeiro a falar que não devemos ficar criticando a F1 na TV, mas foi um lixo”. Se os fãs não estavam pedindo isso, por quê? Precisamos ouvi-los”, declarou o austríaco.

No rol dos dirigentes mais influentes e polêmicos da F1, Lauda também detonou o formato de classificação adotado em Melbourne. “A pior decisão na F1. Era óbvio que, quando nós tomamos a decisão, ninguém sabia de todos os detalhes. Nós precisamos mudar isso rapidamente, ter uma rápida decisão e mudar isso para o Bahrein. Tenho certeza que Bernie também não gostou”, comentara.

O GP da Austrália, que abre a temporada 2016, começa às 2h (de Brasília), com transmissão em TEMPO REAL do GRANDE PRÊMIO.
 

Os 10 primeiros no grid de largada para o GP da Austrália de F1.A prova começa nesta madrugada, a partir das 2h00

Publicado por Grande Prêmio em Sábado, 19 de março de 2016
VEJA A EDIÇÃO #20 DO PADDOCK GP, QUE ABORDA F1, MOTOGP, INDY E F-E