F1

Após saída da Martini, Williams mantém orçamento para 2019 e espera novo patrocinador “em breve”

Claire Williams se mostrou confiante em poder anunciar logo o patrocinador principal para cobrir a lacuna deixada com a saída da Martini. A dirigente britânica disse que o orçamento para 2019 vai ser mantido, sem redução de dinheiro, e também vai manter o número de funcionários
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Robert Kubica em ação nesta terça-feira de testes em Abu Dhabi (Foto: Sky Sports/Twitter)

A Williams corre contra o tempo para assegurar um orçamento decente para a próxima temporada do Mundial de F1. A equipe britânica vai sofrer duas baixas bastante consideráveis para 2019: a primeira delas é a saída da Martini, que fez sua despedida como principal patrocinadora no GP do Brasil — em Abu Dhabi, pelas leis locais, é proibida a propaganda de bebidas alcoólicas. A Williams, inclusive, retirou a Martini do seu nome oficial nas redes sociais. O time de Grove também busca cobrir a lacuna deixada pela saída da família Stroll, que agora comanda o consórcio responsável pela Force India.
 
Claire Williams, em entrevista ao site ‘Motorsport-Total’, assegurou que não há motivos para preocupação e que o orçamento previsto para 2019 não vai ser reduzido, assim como o número de funcionários.
 
“Vamos contar com o mesmo orçamento deste ano. Não vai haver uma redução de meios e nem de capital”, assegurou a chefe-adjunta da equipe e filha de um dos fundadores, Sir Frank Williams. 
Claire Williams confia em dias melhores para a Williams mesmo com a saída da Martini (Foto: Williams)
A dirigente, contudo, disse que pretende anunciar um novo patrocinador principal nos próximos dias. “Em breve haverá notícias sobre nosso novo patrocinador, mas isso é tudo o que posso dizer no dia de hoje”, declarou.
 
Quando questionada se prefere contratar um piloto que receba um grande salário, Claire deixou claro que o objetivo é manter a estrutura atual dentro de Grove, com os funcionários atuais, sem que tenha que gastar com um ‘medalhão’, por exemplo. “Todo mundo desempenha um papel decisivo em nossa fábrica e prefiro contar com o sacrifício dos nossos funcionários do que com um piloto melhor”.
 
A expectativa é que a Williams anuncie nesta quinta-feira (22), em Abu Dhabi, Robert Kubica como titular para 2019, informa a revista britânica 'Autosport', o que encerra a chance de Sergey Sirotkin permanecer. O polonês, atual reserva e piloto de desenvolvimento, vai chegar para formar dupla com o prodígio britânico George Russell, que luta pelo título da F2.
 
É esperado que Kubica traga um substancial patrocínio, sobretudo de empresas oriundas da Polônia, para vencer a concorrência com Sirotkin. Além do russo e de Robert, nomes como Esteban Ocon, Artem Markelov e até Esteban Gutiérrez chegaram a ser especulados para a vaga deixada por Lance Stroll na Williams.
 
A respeito do FW41, projeto que se mostrou um fracasso em 2018 e que rendeu apenas sete pontos à escuderia britânica, Claire Williams só espera que o carro do ano que vem seja melhor.
 
“Trabalhamos duramente e sabemos que estamos numa situação difícil. Estamos fazendo muitas análises e testes para descobrir os pontos fracos do carro. Vamos fazer tudo o que for possível para voltarmos mais fortes”, disse.
 
“Não sabemos o que nossos rivais vão fazer. Vamos ter de esperar até fevereiro para obter as respostas, mas confio na nossa equipe”, finalizou a britânica.