Após somar pontos em Monza, Massa prevê fim de semana difícil para Williams no GP de Cingapura

Ciente do fato de que o traçado de Marina Bay não é o mais adequado à Williams, Felipe Massa acredita que sua equipe terá dificuldades em garantir um bom resultado dentro de 11 dias, em Cingapura. Mas o brasileiro, que se despede da F1 ao fim da temporada, acredita que a pista da cidade-estado não vai impor tantas dificuldades quanto Mônaco, por exemplo

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A Williams vem enfrentado, nas últimas temporadas, muitas dificuldades em circuitos mais lentos. Em Mônaco, Felipe Massa e Valtteri Bottas tiveram jornadas complicadas nos últimos anos. Cingapura é uma pista que, embora também urbana quanto a de Monte Carlo, compreende características um tanto distintas por ser mais longa e rápida em alguns pontos. Em Marina Bay, a Williams conquistou dois razoáveis resultados nos últimos anos, terminando em quinto lugar em 2014, com Massa, e no ano passado na mesma posição, com Bottas. 
 
Mas o brasileiro, que vai disputar pela última vez o GP de Cingapura daqui a 11 dias, entende que a Williams terá pela frente uma jornada difícil. Não tão complicada quanto costuma ser Mônaco, mas que tende a ser complicada. O brasileiro já pensa na corrida noturna disputada na cidade-estado depois de ter cruzado a linha de chegada do GP da Itália em nono lugar.
 
O resultado, na sua despedida de Monza como piloto de F1, foi aquém das suas expectativas. “O fim de semana não foi tudo o que eu esperava. Durante minha última saída no Q2, estava indo para minha última volta rápida, mas não consegui aquecer meus pneus corretamente em razão do tráfego e terminei em 11º no grid”, recordou Felipe em coluna escrita ao site norte-americano ‘Motorsport.com’. 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Felipe Massa prevê jornada complicada para Williams no GP de Cingapura (Foto: Getty Images)
“A corrida em si também não foi fácil porque sofri muito com o pneu macio. O desgaste foi maior que o esperado, mas surpreendentemente os problemas sumiram no último stint, quando coloquei os compostos supermacios. Nesta fase, minha corrida mudou porque, ao ter um composto mais macios, não tive os problemas de antes e tive algum bom ritmo de corrida. Eventualmente, recuperei os pontos com o nono lugar, o que contribuiu para um bom resultado para a equipe”, disse.
 
Com os dois pontos somados por Massa e os oito de Bottas, sexto colocado no último domingo no mítico circuito italiano, a Williams retomou o quarto lugar do Mundial de Construtores e agora soma 111, contra 108 da Force India. Porém, diferente da Williams, a escuderia de Silverstone costuma ter bons desempenhos em circuitos de rua, tendo seus dois pódios conquistados justamente neste tipo de traçado: em Mônaco e Baku, no Azerbaijão: os dois com Sergio Pérez.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Diante da próxima etapa, Massa não encara o GP de Cingapura com tanto otimismo. “Agora nós esperamos por um teste difícil na pista de Cingapura. Não acho que vai ser um fim de semana tão difícil como Mônaco, mas neste tipo de pista a gente tende a sofrer um pouquinho mais que em pistas de alta. Eu prevejo que pode ser um fim de semana difícil em termos de gestão de pneus, mas vamos esperar e ver”, salientou o veterano.

 
“Para a Williams, o plano é claro: seguir à frente da Force India e dar o máximo que nós pudermos para obter o melhor resultado possível”, concluiu.
PADDOCK GP #45 COMENTA FIM DE SEMANA COM F1, INDY, MOTOGP E WEC

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube