Após testes na França, Mercedes entra em "contagem regressiva intensa" até final de temporada

Ross Brawn aguarda análise dos resultados dos testes da Mercedes em Magny-Cours e prevê atualizações nos carros de Schumacher e Rosberg para as últimas corridas do ano

 

Após participar dos testes para pilotos novatos, que ocorreu ao longo da semana em Magny-Cours, as atenções da Mercedes se voltam para o GP de Cingapura, marcado para o dia 23 de setembro. Para Ross Brawn, chefe da equipe alemã, os testes realizados no circuito francês ajudarão o time neste período final do campeonato.

"Concluímos o teste para novatos em Magny-Cours e temos muitas informações importantes, que estão sendo analisadas neste momento em nossas fábricas em Brackley e Brixworth", afirmou Brawn. "Esperamos trazer mais atualizações para nosso carro para as últimas corridas da temporada", completou.

Sobre a corrida em Marina Bay, o dirigente ressalta que a prova é o início de uma jornada pesada para a F1. "Com a conclusão do período europeu da temporada, entramos agora em uma contagem regressiva intensa até o final do campeonato, com sete corridas em diversos países em apenas dois meses e meio", contabilizou.

Para Brawn, testes em Magny-Cours trarão resultados positivos para Mercedes (Foto: Mercedes)

Embora Brawn aponte que "já é o quinto ano do GP de Cingapura, então a rotina de trabalhar de madrugada e permanecer no fuso horário europeu é algo conhecido", seus pilotos, Michael Schumacher e Nico Rosberg, frisaram o quão diferente é correr em uma prova noturna.

"À primeira vista, tudo parece mais tranquilo, pois estamos correndo à noite. Na realidade, temos que trabalhar ainda mais para nos manter no fuso horário europeu e com o relógio biológico acertado, para ter um desempenho perfeito durante a corrida", explicou Schumacher, enquanto Rosberg parece estar mais tranquilo com os horários do fim de semana: "Sempre me parece estranho pilotar à noite, dormir às cinco da manhã e acordar à tarde, mas é surpreendente como é fácil se adaptar."

O heptacampeão aproveitou para comentar sobre o circuito, que estreou no calendário da categoria em 2008, dois anos antes de seu retorno da aposentadoria. "O interessante é que o circuito é tecnicamente bastante desafiador, é mais complicado conseguir a volta perfeita", afirmou. 

"Gosto de Marina Bay, é um circuito de rua diferente, com calor e umidade intensos e um grande número de curvas. Realmente, é um desafio", completou Rosberg, que foi o segundo colocado na primeira prova no circuito, pilotando uma Williams.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube