F1

Às vésperas de segunda despedida da Ferrari, Räikkönen nega tristeza: “Tenho essa experiência”

Perto de partir para a Sauber, Kimi Räikkönen negou que esteja triste por sair da Ferrari, até por já ter passado por isso antes. Finlandês tampouco se mostrou preocupado com a briga pelo terceiro lugar no campeonato
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Kimi Räikkönen (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Engana-se quem pensa que Kimi Räikkönen está triste por deixar a Ferrari. O finlandês lembrou que já passou por isso antes e não vê motivos para tristeza.
 
Räikkönen faz neste fim de semana em Abu Dhabi sua última corrida nesta segunda passagem pela Ferrari. A partir de 2019, o finlandês dá lugar a Charles Leclerc e vai guiar pela Sauber.
 
Em Abu Dhabi para a prova deste fim de semana, Kimi não se mostrou abatido por encerrar esta nova fase em Maranello e avaliou que pouca coisa vai mudar.
Kimi Räikkönen não está muito preocupado com o terceiro posto no campeonato (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Tenho experiência por já tê-los deixado uma vez, então não é uma coisa nova”, disse Räikkönen. “Não estou triste, pois não vejo motivo para precisar ficar triste. Ainda vamos nos ver muito no paddock, então não muda muita coisa”, seguiu.
 
“Estou indo para uma coisa nova e isso é empolgante. Obviamente, tive bons momentos com o time, com ótimas pessoas, mas também tivemos momentos difíceis. Isso faz parte do negócio, é assim que é às vezes ― pode ser um pouco difícil”, declarou. “Venci o campeonato com o time como piloto, também vencemos duas vezes como equipe. Fiquei muito feliz em fazer parte disso e tivemos ótimos momentos também”, frisou. 
 
“Vamos felizes em direções diferentes e não muito longe uns dos outros. Vamos continuar fazendo o que estávamos fazendo e vai ser bom”, previu.
 
Kimi chega para a última etapa da temporada com 14 pontos de vantagem para Valtteri Bottas na briga pelo terceiro posto no campeonato, mas não está muito preocupado em garantir a posição.
 
“Não acho que isso vá mudar meu mundo”, considerou. “Se eu ficar com esse terceiro lugar, vou ter de ir naquela premiação, onde quer que seja. Essa é a parte negativa, mais viagens... Se acontecer, que seja”, concluiu.