Aston Martin reduz expectativas para GP da Espanha: “Carro deve ser mais difícil”

Depois de um forte desempenho no Canadá, sensação geral na Aston Martin é de que a pista privilegiou o carro. Para a Espanha, a expectativa é de que o cenário seja mais difícil

Depois de voltar a colocar os dois carros no top-10 no GP do Canadá, com Fernando Alonso em sexto e Lance Stroll em sétimo, a Aston Martin preferiu economizar nas expectativas e não espera ter resolvido todos os problemas de equilíbrio do carro. Dentro da equipe, o sentimento geral é de que o Circuito Gilles Villeneuve se adapta melhor às características do AMR24 do que o Circuito de Barcelona, por exemplo, que vai receber a Fórmula 1 em seguida. E Mike Krack, chefe da escuderia de Silverstone, espera por desafios maiores na Espanha.

“Seria prematuro dizer que entendemos tudo”, disse Krack. “Acho que temos muito trabalho a fazer. Mas, obviamente, esse fim de semana foi um passo na direção certa. Teremos circuitos diferentes e difíceis pela frente. Então, precisamos sentar e ver qual o melhor conjunto possível para as corridas que virão, porque elas serão bem intensas”, admitiu.

Assim como o chefe, Stroll acredita que a pista do Canadá se adaptou melhor ao carro inglês do que circuitos como Espanha e Hungria, por exemplo. O piloto vê a equipe em processo de resolver as questões que causaram uma perda de performance em relação ao ano passado, mas alertou que as mudanças não podem ser feitas de uma hora para a outra.

“Definitivamente, a pista fez bem ao carro”, analisou Stroll. “Estamos rápidos nas retas, com um bom DRS e não muito downforce. E todas essas coisas são boas no Canadá. O carro deve ser mais difícil [de pilotar] em pistas como Barcelona e Hungria, com aquelas curvas longas”, explicou.

Stroll foi o sétimo colocado no GP do Canadá (Foto: Aston Martin)

“Capitalizamos em um fim de semana em que o carro foi forte o tempo todo. E veremos em Barcelona, um tipo muito diferente de pista, o que poderemos fazer. Acho que estamos [resolvendo nossos problemas], mas não é uma mudança do dia para a noite”, completou.

Por fim, Alonso seguiu na linha de raciocínio de Krack e Stroll. Para o espanhol, a pista do Canadá é melhor para o AMR24 do que Barcelona, sua corrida de casa, mas o bicampeão mundial não deixou de admitir uma ponta de esperança. Segundo ele, o trabalho da Aston Martin em novidades projetadas para a Espanha geram a expectativa de que as coisas podem ser melhores do que o previsto.

“No papel, somos mais felizes em Montreal do que em Barcelona. Achamos que essa pista [no Canadá] é melhor para nós. Mas vamos ver se temos alguma surpresa. Sei que a equipe está trabalhando muito para levar algumas coisas novas a Barcelona, será um fim de semana interessante”, afirmou Alonso.

Alonso chegou em sexto, uma posição à frente do companheiro de equipe (Foto: Aston Martin)

“Vamos ver se conseguimos marcar pontos de novo com os dois carros, o que é obviamente algo que estamos buscando no momento. Os últimos meses foram muito produtivos para nós em termos de entender o carro. Então, estou muito confiante”, finalizou.

Fórmula 1 volta entre os dias 21 e 23 de junho, em Barcelona, com o GP da Espanha, décima etapa da temporada 2024.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.