Aston Martin tenta equilíbrio entre nova fábrica e evolução do carro para “não regredir”

Otmar Szafnauer, chefe da Aston Martin, revelou que a equipe está animada com a construção da nova fábrica na Inglaterra, mas mostra cautela para manter o foco no campeonato da F1: "Não podemos dar um passo para trás"

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTubeGP | GP2

ASTON MARTIN SOFRE EM TRANSIÇÃO, MAS RESGATA VETTEL | Retrospectiva F1 2021

Com uma nova geração de carros, regulamento técnico e teto orçamentário chegando no ano que vem, as equipes da Fórmula 1 têm um grande desafio à frente, sobretudo para a Aston Martin. Isso porque, se nos tempos de Force India e até de Racing Point, o time era conhecido por orçamentos mais baixos, agora, além de uma expansão de funcionários em Silverstone, buscando aumentar de 535 para 800 trabalhadores, a construção de uma nova fábrica na Inglaterra e um túnel de vento estão acontecendo.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Mas, para Otmar Szafnauer, chefe da equipe, a meta ambiciosa não será batida facilmente, além de poder comprometer o desempenho da Aston Martin na F1 — que, até o momento, ocupa a sétima posição no Mundial de Construtores, com 48 pontos.

“Há uma nova fábrica que começamos a construir, e isso não é uma tarefa fácil. Temos que construir sem dar meio passo para trás porque, se você olhar para outros lugares, sempre que parecem estar construindo uma nova fábrica, eles se desviam um pouco da melhorias no carro”, disse Szafnauer, em entrevista ao site GPFans.

E, neste momento, seguir em frente é mais do que necessário para a equipe de Lawrence Stroll. Mesmo em um ano difícil de transição, a melhora de Sebastian Vettel após um longo período de adaptação pode ser determinante para a segunda metade do calendário em 2021. Por isso, o desempenho do AMR21 precisa continuar em uma linha crescente, na opinião de Szafnauer.

Mesmo depois de um amargo GP da Hungria, Sebastian Vettel pode ser determinante nessa segunda parte da temporada para a Aston Martin (Foto: Aston Martin)

“Não podemos dar um passo para trás. Temos que construir uma nova fábrica e um novo túnel de vento ao mesmo tempo em que avançamos cada vez mais em termos de desempenho. É complicado, mas se você levar um dia de cada vez, manter a calma, tomar decisões racionais e certas, isso pode acontecer”, acrescentou.

No entanto, embora o caminho seja difícil, o dirigente mostra também animação por essa nova etapa da escuderia britânica. Afinal, Andy Stevenson, diretor-esportivo da escuderia britânica, admitiu em entrevista recente que a Aston Martin não briga ainda pela posição de melhor equipe do grid, mas que, a longo prazo, vai brilhar sob os holofotes. E esse mesmo sentimento é compartilhado por Otmar.

“Com certeza, é muito emocionante”, declarou Szafnauer. “É muito emocionante construir algo que, daqui a quatro ou cinco anos, vai nos fazer vencer campeonatos mundiais. Esse é o objetivo”.

“Essa jornada vai ser ótima. Algumas pessoas se juntaram a nós porque gostaram dessa desafio. Mas, ao mesmo tempo, vai ser um trabalho árduo. Vai demorar muitas horas e consumir muita energia de todos nós”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar