F1

Bicampeão, Alonso se diz orgulhoso por aumento da popularidade da F1 na Espanha: “É o 2º ou 3º esporte”

Fernando Alonso se despediu da F1 no final de 2018. Refletindo sobre o período que passou na categoria, afirmou que sente muito orgulho por ser o responsável pelo crescimento do esporte a motor na Espanha

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Fernando Alonso teve uma passagem de muito sucesso e conquistas na Fórmula 1. Entretanto, tem um feito que o piloto guarda com maior carinho e orgulho, que é ter promovido o crescimento da categoria e do automobilismo na Espanha, sua terra natal.
 
Após 18 anos, o bicampeão mundial se despediu da categoria. Buscando novos desafios em sua carreira, quer conquistar a Tríplice Coroa do automobilismo – para alcançar o objetivo, em 2019, vai participar de sua segunda edição das 500 Milhas de Indianápolis.
 
Refletindo sobre o período em que passou na F1, onde conquistou 32 vitórias e tornou-se o único espanhol a triunfar e ser campeão, Alonso elegeu uma de suas maiores conquistas. “Estou muito orgulhoso”, comentou.
 
“Você só percebe com o tempo, quando vê quantas pessoas acompanham o esporte agora na Espanha, em minha região nas Astúrias, quantas pessoas viajam para Oviedo para visitar o museu, ter o primeiro contato com karts”, continuou.
Fernando Alonso (Foto: Daytona International Speedway)
“Muitas pessoas começaram a seguir a Fórmula 1, e não só a F1, mas o esporte a motor em geral, em meu país, o que definitivamente não era uma tradição. Não transmitíamos as corridas em 2001, 2002, acredito que começou no meio de 2003”disse. 
 
“Algo que é impensável agora, quando a Fórmula 1 é o segundo ou terceiro esporte na Espanha, o que é algo que realmente me orgulho”, emendou.
 
Em 2005, Fernando recebeu o Prêmio Príncipe das Astúrias, concedido para pessoas que conquistaram um feito notável nas áreas da ciência, humanidade ou vida pública. O prêmio veio por conta de seu primeiro título mundial.
 
“O Prêmio Príncipe das Astúrias é provavelmente a maior coisa que conquistei, até mesmo maior que os títulos na F1. Esse tipo de prêmio é sobre mudar a vida das pessoas e introduzir muitas pessoas em um esporte. Então, esse tipo de coisa é muito maior que qualquer troféu”, encerrou.

Neste início de ano, a agenda do espanhol já está cheia. Correndo com um Cadillac da equipe Wayne Taylor Racing, vai participar pela segunda vez das 24 Horas de Daytona.